Uber expande seu serviço de entrega de alimentos para 22 novos países

Avatar

Por Lucas Bicudo

28 de setembro de 2016 às 16:40 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Uber está expandindo seu serviço de entrega de alimentos UberEats para pelo menos 22 novos países em toda África, Europa e Oriente Médio. A companhia acredita ter uma enorme vantagem em relação às empresas locais, como um dos mais recentes unicórnios, a Takeaway.com.

“A Uber transporta pessoas ao redor das cidades há anos, somos uma parte fundamental da infraestrutura delas e sabemos como elas funcionam. Não somos meramente uma plataforma de marketing. Somos especialistas em logística e transporte e ninguém está mais bem posicionado para entregar eficiência e custo benefício como nós”, disse Jambu Palaniappan, chefe da UberEats para as regiões citadas acima, em uma entrevista à Reuters.

Lançado em 2014 e inicialmente disponível apenas em Santa Mônica – na Califórnia -, o crescimento do serviço já é impressionante e está presente em 32 cidades do mundo todo, principalmente em solo norte-americano.

Em maio, os executivos da Uber apontaram que as ambições internacionais do serviço eram uma moderada extensão do seu negócio principal de transporte. Os esforços para a internacionalização da UberEats ao longo dos últimos meses sugerem que algo mais ambicioso esteja tomando forma.

Entretanto, é a hora da companhia tomar cuidado. Ultimamente temos visto startups de entrega de alimentos lutando para operarem de forma sustentável em novos países, à exemplo da foodpanda, que é investida pela Rocket Internet, no mercado indonésio – eles podem ter que repensar toda sua estratégia no sudeste asiático.

Feita a ressalva, a Uber tem bilhões de dólares à sua disposição, bem como um monte de experiência em escalar seus negócios globalmente.

(via Reuters)

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!