Tinder possui uma plataforma seleta apenas para “membros de elite”

Avatar

Por Lucas Bicudo

8 de março de 2017 às 16:43 - Atualizado há 4 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Aparentemente o Tinder possui uma plataforma chamada Tinder Select, que serve apenas para os usuários de elite do aplicativo, para celebridades e aqueles que mais se destacam.

Uma fonte do TechCrunch diz que o app convida as pessoas para participarem da plataforma e alguns desses usuários têm até o direito de nomear outras – essas não podem nomear, por sua vez, para não correr o risco de fugir do controle. Ainda não é certo o critério que o Tinder usa para convidar esses membros, mas parece que são os mais atraentes e com um perfil de destaque.

Um fator que pode se enquadrar no critério do Select é o Tinder Elo, que é um sistema de classificação algorítmico na base de usuários.

Essas pessoas podem alternar entre o Tinder regular e o Tinder Select, o que faz sentido, já que o novo serviço possui um menor leque de opções em alguns lugares do mundo.

O serviço está funcionando há seis meses, no mínimo. Isso sugere que o aplicativo não possui planos imediatos para anunciar esse serviço, que poderia abalar a base de usuários do serviço regular.

Vale notar que essa não é a primeira vez que um aplicativo de relacionamentos tenta agradar seus membros de elite.

Raya permite apenas usuários com muitos seguidores no Instagram, trabalhos interessantes e boas referências entre a comunidade do app. O VIBee é outro exemplo, que compensa pessoas que fazem contribuições positivas para seu ecossistema. Tem também o The League, que usa o LinkedIn para mapear educação e profissão das pessoas para determinar quem entra na plataforma.

No entanto, não parece que o Tinder está usando o Select como uma maneira de aumentar o hype, mas sim como uma camada verdadeiramente seletiva da plataforma para os mais atraentes. Afinal, seis meses (pelo menos) parece uma quantidade excessiva de tempo para testar um produto sem anunciá-lo.

(via TechCrunch)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]