StartSe no Mundo: Conheça a startup Australiana que captou mais R$80 milhões e está mudando o mercado de vinhos

A estratégia da empresa é ter pouca variedade, mas sempre vinhos muitos bons a preços baixos

Avatar

Por Eduardo Glitz

25 de abril de 2016 às 10:39 - Atualizado há 4 anos

Vender vinhos pela internet não é novidade no Brasil, muito menos na Austrália, um país onde mais de 50% das pessoas bebem vinho. Clubes de vinho e assinaturas mensais também já estão  presentes no Brasil há algum tempo.  Mas o que eu conheci em Melbourne, na Austrália, foi algo diferente. A Vinomofo criou uma legião de fãs, um modo diferente de vender vinhos, e o sucesso veio rápido. No mês de março  a startup havia recebido um aporte de mais de R$80 milhões de um fundo de Venture Capital Australiano.  A empresa está completando 5 anos, tem mais de 200 funcionários e é lucrativa desde o seu primeiro ano.

Marquei de conversar com o Justin Dry, CEO e fundador, na sede da empresa. O escritório ocupa um andar inteiro de um prédio simples em uma região comercial da cidade. Nem o prédio e nem a empresa possuem recepção, quando vi estava dentro do escritório, luz baixa, pallets espalhados pelo teto,  muitas garrafas de vinho e um rock’n’roll tocando no fundo. De cara vi que estava em uma startup que cresceu m’as não perdeu a cultura. Logo fui recepcionado por um cachorro de pequeno porte que havia levantado de sua cama, posicionada ao lado da mesa de quem eu imaginei ser a sua dona.  Cheguei 15 minutos antes da reunião, então optei por me sentar em uma mesa de reuniões que estava vazia logo na entrada do escritório. Aquele ambiente fez com que eu me sentisse à vontade já no primeiro minuto, não falei com ninguém, ninguém falou comigo, mas já me sentia parte daquilo. Tudo isto, naquele momento já me fez refletir sobre a importância do ambiente de trabalho para o engajamento das pessoas.

Com muito orgulho ele me apresentou todas as áreas da empresa, rodamos todo o escritório em poucos minutos, nenhuma parede, e a sua mesa fica bem no meio junto com o CFO. Durante uma hora conversamos sobre a Vinomofo, sobre a minha experiência empreendedora no Brasil e sobre o mercado de startups. O Justin é aquele jovem que sonha grande e sabe que está no caminho para suas realizações, pela primeira vez nas minhas visitas falei mais do que ouvi, graças ao interesse dele em aprender e tentar absorver conhecimento daquela conversa. Com a humildade característica de um empreendedor de sucesso, pediu conselhos agradeceu pela visita.

A empresa de Justin executou muito bem a estratégia de criar uma experiência diferente de consumo, associando o produto a momentos descontraídos com os amigos, a comunicação visual do site é toda nesta linha.  Mas eles foram além, deram uma cara nova ao consumo de vinho, uma cara jovem e descontraída, que é muito diferente do que existe há centenas de anos no mercado de vinhos, o qual sempre foi tradicional e muitas vezes bebida de pessoas mais velhas. Por aqui é o oposto, beber vinho é “cool”, e isto muda tudo. Esqueça aquelas garrafas de vinho francês com rótulos esboçando grandes casarões e orgulhando-se de produzir desde 1700.  Na Vinomofo os rótulos são coloridos, com cores e nomes nada tradicionais, e algumas vezes até relacionados ao rock n’roll.

IMG_3350

A estratégia da empresa é ter pouca variedade, mas sempre vinhos muitos bons a preços baixos.  Uma parte dos produtos vendidos são próprios e outra vem de diversos fornecedores do mundo. Segundo Justin, esta estratégia permite que eles comprem ou produzam grandes lotes, reduzindo de forma muito significativa o custo. É o modelo conhecido como “flash sales”, onde a empresa compra um lote grande, vende todo ele até acabar, e não necessariamente irá repor. Esta estratégia reduz a necessidade de capital de giro imobilizado em estoque de diversos rótulos. E também facilita o processo de expansão, ainda este ano a Vinomofo pretende estar presente em mais cinco países, Nova Zelândia, Singapura, Hong Kong, Reino Unido e Estados Unidos. Para Justin esta expansão é simples, basta enviar um container para cada país e começar a testar o mercado, complementou ele.

A Vinomofo deve vender este ano mais de 50 milhões de dólares australianos, o equivalente a aproximadamente R$150 milhões,  o que a coloca entre as startups de maior sucesso do país. Diferente do Brasil, na Austrália beber vinho é tão comum quanto beber cerveja, faz parte do dia a dia das pessoas e dos momentos de descontração. Mas para atingir de verdade o público jovem estava faltando esta  mudança na cara do produto, e a Vinomofo conseguiu,  ao contrário da maioria que apenas coloca uma loja de vinhos  tradicional na internet, eles fizeram diferente e  já estão colhendo os frutos da inovação.

Este conteúdo faz parte do projeto StartSe no Mundo, uma viagem empreendedora por mais de 40 países. Conheça o site do projeto clicando aqui e inscreva-se para receber conteúdos exclusivos ao longo da jornada, que podem inspirá-lo e adjudá-lo a empreender.

IMG_4065