StartSe no Laos: esse país está entrando pesado nos carros elétricos

Avatar

Por Eduardo Glitz

22 de julho de 2016 às 19:44 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Talvez nem todos conheçam, mas o Laos é um pequeno país no sudeste asiático que faz divisa com China, Vietnã, Camboja, Tailândia e Myanmar. São aproximadamente 8 milhões de habitantes que vivem no país que é conhecido como a “bateria” da Ásia, por conta de sua enorme geração de energia hidrelétrica. São rios e corredeiras por todos os lados do pais, que apesar de muito pobre, se beneficia de suas belezas naturais.

O Laos está crescendo, e em nenhum lugar isso é mais visível do que em Vientiane, sua capital onde sua população cresce 5% ao ano projetando dobrar de tamanho em menos de 20 anos. O crescimento obriga ela a enfrentar um problema difícil: a sua qualidade do ar. A localização geográfica de Vientiane é parcialmente responsável por isto, com velocidades de vento tipicamente muito baixas, a poluição dos veículos não é soprada para longe da cidade.

Com o número de veículos crescendo em torno de 14% ao ano em Vientiane ao longo dos últimos 10 anos, e com um país pobre em recursos financeiros para infra-estrutura,  as autoridades concluíram que a construção de rodovias e novas estradas será difícil e muitas vezes impossível. Resumindo, o número de pessoas em Vientiane está crescendo a 5% ao ano, mas o número de veículos está aumentando em 14%, em uma cidade cada vez mais sufocada com o transito e a fumaça.

No Laos, assim em como em quase todo sudeste asiático, o trânsito é tomado pelos famosos Tuk-Tuks. Uma espécie de moto que puxa um carrinho onde as pessoas são transportadas, normalmente cabem até 4 pessoas em um veiculo, mas varia muito. Em algumas cidades eles são um pouco maiores, quase como um pequeno caminhão, em outras são puxadas por uma espécie de trator. A principal utilidade deles é o transporte rápido, substituindo o taxi, ou até podemos dizer que em algumas cidades o táxi é o Tuk-Tuk.

Mas Laos, a auto-declarada “Bateria da Ásia”, tem uma enorme quantidade de eletricidade acessível. E este é claramente o combustível do futuro e a chave para o desenvolvimento de Vientiane como uma cidade limpa. Por isto um consórcio de parceiros iniciou o processo de substituição, trocando os antigos Tuk-Tuks por novos, agora elétricos e muito mais confortáveis, e melhor, podem ser financiados através dos créditos de carbono.

Outro problema que surgiu, dado a baixa infra-estrutura do pais esta relacionado aos carregadores de baterias. E para resolver a questão, os veículos possuem painéis solares no seu topo, assim conseguem ser carregados enquanto estão estacionados nos calor escaldante da região. Ou podem ser carregados a noite em tomadas tradicionais.

Uma solução relativamente simples, que reduz a emissão de gases poluentes, além de ser um meio de transporte importante que pode reter o crescimento da quantidade de carros. O Laos, apesar de todas as suas restrições financeiras mostrou que é possível buscar inovação e sustentabilidade mesmo diante das dificuldades. Sem dúvida é um exemplo a ser seguido por diversas outras cidades que sofrem de um dos maiores problemas da atualidade, a poluição.

IMG_7761 IMG_6692

 

Este conteúdo faz parte do projeto StartSe no Mundo, uma viagem empreendedora por mais de 40 países. Conheça o site do projeto clicando aqui e inscreva-se para receber conteúdos exclusivos ao longo da jornada, que podem inspirá-lo e adjudá-lo a empreender.