StartSe em Hong Kong: mistura de NY com Miami, você precisa conhecer!

Avatar

Por Eduardo Glitz

30 de agosto de 2016 às 18:32 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nem nos meus pensamentos mais otimistas eu poderia imaginar como é Hong Kong. Alguns amigos haviam recomendado fortemente e então, apesar de ser um país pequeno, resolvemos ficar por uma semana, foi tempo suficiente para explorar a cidade mais vertical do mundo e se apaixonar. Apesar de ser um pouco confuso a relação deles com a China, eu também não entendia, trata-se de algo absolutamente segregado, com moeda, governo e leis próprias. Inclusive os moradores de Hong Kong necessitam de visto para ir a China.

Se fosse para resumir diria que a cidade é uma mistura de Nova York com Miami. A semelhança com a principal cidade dos Estados Unidos é por diversos motivos, Hong Kong é uma cidade é vibrante, muitas pessoas andando freneticamente de um lado para o outro, os melhores restaurantes mundo e todas as grandes marcas com suas lojas conceito, estilo 5ª avenida. Além de ser a capital financeira da Ásia, sede de todos os grandes bancos da região. E onde foi fundado o HSBC (Hong Kong and Shangai Bank Corporation).

Ao mesmo tempo, sua semelhança com Miami vem por conta da cidade ser rodeada pelo mar, do alto dos arranha-céus é possível ver as belezas naturais do local, os barcos navegando por todos os lados e oferecendo um contraste com a metrópole que possui uma das maiores densidades populacionais do mundo, com centenas de prédios residências que superam facilmente os 60 andares. O sistema de transporte público é impecável, é a cidade que possui o maior uso de transporte publico do planeta, com 90% da população fazendo uso das diversas linhas de trem.

A preocupação com o bem-estar da população é visível, tuneis, escadas rolantes nas ruas, pontes que ligam prédios, tudo para aumentar o conforto daqueles que já tem o privilégio de viver na cidade mais segura do mundo. Tudo isto tem seu preço, a cidade é cara, a mais cara que visitei até agora, mas sem dúvida a experiência compensa.

Hong Kong é o número um no ranking mundial de liberdade econômica e esta entre as maiores rendas per capita do mundo. Até a emissão do dinheiro é feita pelos bancos privados, que estampam seus logotipos nas cédulas do dólar de Hong Kong, exemplo máximo do quanto a iniciativa privada é capaz impulsionar uma nação. O mercado financeiro é o principal motor de crescimento da cidade e acolhe os milhares de jovens que formam-se nas faculdades anualmente. A oferta de vagas nos mais diversos bancos com carreiras promissoras e algumas vezes milionárias reduz o apetite dos jovens pelo empreendedorismo, tornando o ambiente de startups menor pujante do que eu imaginava.

Me despeço de Hong Kong com vontade de ficar mais,  é o décimo primeiro país da volta ao mundo. Neste momento estou indo para a Coréia do Sul e após estarei na China para finalizar o período em continente asiático. Muitas surpresas até agora, muito aprendizado, muitas ideias e reflexões que espero poder continuar compartilhando com meus leitores. Muito obrigado a vocês!

IMG_9389 IMG_9208 IMG_9095 IMG_9090

IMG_7847

Este conteúdo faz parte do projeto StartSe no Mundo, uma viagem empreendedora por mais de 40 países. Conheça o site do projeto clicando aqui e inscreva-se para receber conteúdos exclusivos ao longo da jornada, que podem inspirá-lo e ajudá-lo a empreender.