Sindicato quer barrar carros autônomos por 50 anos para preservar empregos

Avatar

Por Lucas Bicudo

16 de janeiro de 2017 às 13:22 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Não é nenhum segredo que companhias de compartilhamento de carros como Uber e Lyft sonham com o dia em que dependerão apenas dos carros autônomos e não mais dos motoristas. Bem, isso está agitando os nervos dos sindicatos norte-americanos.

A Upstate Transportation Association e a Independent Drivers Guild estão pressionando o governo para banir esses tipos de veículos na cidade de Nova York, com a justificativa que a nova tecnologia colocará milhares de empregos em risco.

A IDG acredita que só precisam ser preservadas as leis existentes para garantir uma proibição eficaz, mas a UTA está conduzindo o assunto com um pouco mais de agressividade: quer proibir carros autônomos pelos próximos 50 anos.

Estas são apenas políticas de grupo. O Estado não precisa escutá-las. O governador Andrew Cuomo não aparenta estar pressionado pelas reclamações. Ele acaba de anunciar o desejo de fazer o compartilhamento de carros disponível em toda a região – não apenas na cidade.

O que pode acontecer agora é o que já vimos na briga entre taxistas e Uber. Sindicatos ao redor do mundo possivelmente farão um belo barulho acerca do futuro de sua classe. Mas é inevitável lutar contra a tecnologia: no fim, ela vai engolir tudo e melhorar nossas vidas – é o que discutimos no Conexão Vale do Silício, nosso programa sobre inovação quinzenalmente aqui no StartSe.

(via Engadget)

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]