Montadoras se juntam em iniciativa para desenvolvimento de apps para carros

Avatar

Por Lucas Bicudo

6 de janeiro de 2017 às 09:33 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Hoje em dia, é quase de praxe pensar que carros e smartphones precisam falar a mesma língua. A Apple e o Google, por exemplo, oferecem seus respectivos serviços para conectar aplicativos no painel de info-entretenimento dos veículos.

A questão é: a indústria automobilística ainda não cedeu totalmente seu console central ao Vale do Silício. É um campo que ainda precisa ser bastante explorado, embora já existam esforços para fazer com que os mais diversos aplicativos e painéis de navegação conversem.

A Ford e a Toyota são aliadas inesperadas nesse quesito. Ambas vão na contramão da tendência e já investiram nessa área. Há alguns anos, com o AppLink, a Ford deu a alguns desenvolvedores a habilidade de integrarem seus aplicativos no sistema de entretenimento de seus carros. Foi aí então que abriu a plataforma para público com o SmartDeviceLink – a Toyota foi uma das primeiras montadoras a adaptar a iniciativa para seus veículos.

Agora as duas companhias lançaram o SmartDeviceLink Consortium, para continuar desenvolvendo a tecnologia. Se juntam ao grupo a Mazda, PSA Group, Fuji Heavy Industries, Suzuki, Elektrobit, Luxoft e Xevo. Harman e QNX já assinalaram interesse em também participar.

O SDL Consortium hospedará seu código no GitHub e receberá contribuições de qualquer pessoa, embora o comitê técnico avalie todas essas mudanças antes de aceitar o novo código, é claro. No fim, porém, cabe aos fabricantes e OEMs realizarem seus próprios testes – o consórcio só irá realizar as validações básicas – e gerenciarem seus próprios programas de desenvolvimento.

Assim, enquanto os desenvolvedores serão capazes de escrever um aplicativo que será executado em todos os carros compatíveis ao SDL, cabe a cada montadora decidir como essa integração funcionará.

Aí voltamos para o parágrafo lá de cima: a indústria automobilística ainda não cedeu totalmente seu console central ao Vale do Silício. Isso porque eles querem estar no controle – e com a iniciativa é um belo caminho.

Para os desenvolvedores, este consórcio abre a possibilidade de que os aplicativos que eles escreverem para o SDL agora serão apoiados por um número muito maior de carros. Da mesma forma, para os fabricantes envolvidos, isso significa que eles podem investir em uma única plataforma e (talvez) manter o ritmo com as inovações que saem de Cupertino e Mountain View.

(via TechCrunch)

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]