Conheça 4 cases de startups de EdTech que merecem destaque

Avatar

Por Lucas Bicudo

16 de fevereiro de 2017 às 15:45 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A tecnologia vem transformando o mundo da educação. Todos os anos, as chamadas edtechs trazem produtos inovadores para o mercado, desde plataformas de certificação online até sites que oferecem aplicativos de aprendizado interativos.

A estimativa de investimento global no setor, até 2020, é de US$ 252 bilhões. Assim como a digitalização transformou a indústria de serviços financeiros, ela também terá logo seu ponto máximo no mercado educacional. É isso o que será debatido no Edtech Class, encontro que reunirá os principais agentes do mercado educacional.

Aqui estão quatro das startups mais promissoras do segmento.

1 – Studypool

Richard Werbe e Jimmy Zhong fundaram a Studypool, que trabalha com o conceito de “microtutoria”. Werbe explica: “dividimos a tutoria convencional em partes menores, mais digestíveis. Ao eliminar a barreira das sessões de tutorias de tempo definido, os alunos podem dominar os assuntos de forma mais eficiente em um intervalo de tempo adaptado às suas necessidades. As sessões típicas duram de 1 a 10 minutos, mas podem levar até várias horas, dependendo do aluno”.

O CEO enfatiza que aprender é tudo sobre o domínio e a missão do Studypool é tornar o domínio de um assunto particular mais fácil para os alunos.

Ele continua: “pense sobre quando você estava preso naquela questão de álgebra na escola e você ligou para um amigo que manjava para ajudar. Isso foi uma “microtutoria”! A Studypool está fazendo isso vezes dez milhões. É como ter milhares de amigos que são tutores profissionais que podem ajudar 24/7, sob demanda. Usando a tecnologia online de hoje, criamos a infraestrutura necessária para apoiar o conceito”.

A startup já levantou US$ 2,3 milhões em financiamento seed, já ajudou mais de um milhão de estudantes e oferece serviços de mais de 40 mil tutores.

2 – Peergrade

Além de ler livros e ganhar experiência, aceitar feedback é uma das melhores maneiras de aprender. É verdade que avaliar o desempenho de um aluno e fornecer algum retorno são normalmente atividades dos professores. Mas com a Peergrade, os alunos podem avaliar o trabalho dos outros através de sessões online, disponibilizadas pelo tutor.

Lançada em 2015 pelos co-fundadores David Kofoed Wind, Malthe Jørgensen e Simon Lind, o objetivo da startup é ajudar os professores a acompanharem cada vez mais o número crescente de alunos, oferecendo atenção e avaliação justa que todos merecem.

“As limitações orçamentárias para as instituições educacionais forçam os professores a ensinarem para classes maiores e consequentemente reduzem o número de trabalhos escritos ou classificam mais trabalhos de casa”, diz David. “Permitir que os alunos participem do processo de avaliação e feedback lhes permite aprender com o trabalho dos outros”.

A plataforma permite que professores criem tarefas online e especifiquem o critério para avaliação. À medida que alguém entrega um trabalho, ele será redirecionado para essas tarefas online à cargo de outros estudantes. Esses darão o feedback, que retornará para a avaliação do professor.

Ano passado, a startup captou US$ 300 mil de investimento seed. Agora está sendo utilizada por diversas universidades da Dinamarca e países visinhos.

3 – Time Machine Tours

Não é nenhum segredo que muitos estudantes acham história um dos assuntos dos mais enfadonhos. Talvez seja devido à grande dependência de livros gigantescos e não muito didáticos. Utilizando a tecnologia GPS, a Time Machine Tours oferece um case de realidade aumentada que pode dizer a localização exata dos fotógrafos quando eles registraram momentos históricos. O aplicativo oferece tours pelos quais os leitores podem usar seus celulares para navegarem pelo lugar onde determinada foto foi tirada. Isso gera a sensação de encarar o passado.

Atualmente, Time Machine Tours está disponível apenas em Nova York, Chicago, Filadélfia e Washington DC. Novo conteúdo está sendo adicionado mensalmente com novos locais, mas por enquanto, não há nenhum anúncio de uma grande expansão ou financiamento.

4 – ClassTag

ClassTag é um tipo diferente de startup, que se concentra não nos alunos, mas na relação pais-professor. Fundada por Vlada Lotkina em 2015, uma antiga executiva da Fortune 500, o objetivo principal é fornecer uma comunidade de sala de aula. Utiliza o esforço coletivo de professores e pais para atender as necessidades dos alunos. Com a plataforma, os professores podem organizar eventos, agendar conferências e lançar campanhas de boletim para manter uma comunicação aberta.

“A missão da ClassTag é ajudar os professores a envolver os pais na sala de aula. Nosso serviço é cuidadosamente elaborado para simplificar as questões de logística e comunicação”, diz.

(via Entrepreneur)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]