Disney, Apple ou Amazon: quem vai acabar comprando o Netflix?

Avatar

Por Lucas Bicudo

11 de outubro de 2016 às 10:59 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Novos rumores estão agitando o mundo da tecnologia: a Disney, a Apple e a Amazon podem estar interessadas na aquisição do Netflix. As três gigantes têm cacife para isso – a Disney possui um valor de mercado três vezes maior que o serviço de streaming de vídeos, enquanto a Apple está valendo doze vezes mais e a Amazon oito.

O Netflix será comprado. A questão aqui é quando. Vejamos o porquê.

A fim de ser lucrativo a longo prazo e sobreviver, a companhia deve continuar a adquirir um enorme número de novos clientes, reter aqueles que eles têm, e fazer isso de uma forma que possa manter as suas assinaturas a um preço baixo – aquele preços que topamos pagar sem questionar muito. Em meio à infinita variedade de serviços de streaming de vídeo rivais crescendo e gerando concorrência em todo o mundo, isso será cada vez mais difícil de fazer. Problema 1.

Agora, o Netflix tem uma carta na sua manga e produz seus títulos originais, que também é motivo para reter um grande número de pessoas. Mas o que impede no futuro de outras plataformas criarem também seu próprio conteúdo exclusivo e as pessoas migrarem para elas? A resposta é continuar injetando qualidade em suas produções, criando uma relação de fidelidade, “já que o Netflix só produz coisa boa”. É aí que está o problema 2. Isso custa caro. Manter o bom nível de produção custa caro e isso só tende a ficar mais caro ainda, conforme as exigências vão aumentando e a concorrência for cutucando.

Em uma companhia do tamanho do Netflix, isso pode se tornar um calcanhar de Aquiles – tanto que a empresa está, efetivamente, perdendo muito dinheiro há muitos anos. Mas pode ser sustentável sob a chancela de gigantes como Disney, Apple e Amazon. Gigantes que adquirem pequenas e as melhoram já foi tema do nosso programa Conexão Vale do Silício.

A Disney monetiza todos os tipos de conteúdo em diversas plataformas, possui parques temáticos e um merchandise de outro patamar. Dessa forma, ela pode absorver as pressões financeiras do Netflix como o Netflix nunca seria capaz de fazer.

A Apple é uma compradora mais óbvia ainda. Já vimos o desespero da companhia em tentar matar o Netflix com a Apple TV, mas Hollywood tem frustrado seus esforços até então. A resposta poderia ser a aquisição do próprio Netflix, como a Apple fez quando comprou a Beats por US$ 3 bilhões e decidiu reorganizar sua estratégia de marketing em relação ao mundo da música. Deu certo, poderia dar então com streaming de vídeos.

A Amazon surge como outra compradora lógica, embora já ofereça o concorrente Amazon Prime Video – e gratuito para Amazon Prime Members, que também podem desfrutar de frete grátis. O Netflix pode ser um gancho ainda maior para nos aproximar de seus negócios na nuvem, nos manter por lá, e nos fazer comprar, comprar e comprar cada vez mais.

Se os rumores são verdadeiros, ninguém sabe dizer. Mas a verdade por detrás deles é uma só: o Netflix chegará a um ponto em que precisará ser comprado por uma gigante. Vejamos qual delas será.

(via TechCrunch)

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!