Um dos maiores bancos europeus investiu pesado em uma startup para não morrer

Avatar

Por Lucas Bicudo

6 de março de 2017 às 11:10 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O Atom Bank, o banco digital focado em consumidores entre 18 e 34 anos do Reino Unido, levantou uma nova rodada de US$ 102 milhões, liderada pelo BBVA – um dos maiores bancos de toda Europa. Além do banco espanhol, participaram da rodada Woodford Investment Management, Toscafund Asset Management e outros investidores não divulgados.

O plano é utilizar o investimento para continuar a construir a sua base de usuários e serviços. O Atom oficialmente foi lançado em abril de 2016 e hoje oferece hipotecas, contas de poupança fixa e empréstimos garantidos para pequenas e médias empresas.

O banco não divulgou seu valuation, mas o BBVA diz que manterá uma participação de 29,5%. Em sua última rodada, o Atom foi avaliado em pouco mais de US$ 200 milhões. É interessante ver um dos maiores bancos da Europa tomando uma posição grande dentro de uma startup: mostra que eles estão interessados em se unir as startups antes que elas o matem. É o que abordamos no Corporate Class, um evento exclusivo em São Paulo para tratar da relação de grandes corporações com startups e inovação.

O fato da participação do BBVA estar abaixo de 30% é notável: de acordo com a lei britânica, se uma empresa adquire uma participação de 30% ou mais, desencadeia uma exigência regulatória para esse acionista fazer uma oferta obrigatória de aquisição. Beirando essa margem, podemos ver mudanças daqui para frente.

As fintechs têm sido uma das mais fortes verticais de tecnologia no Reino Unido e uma série de startups aproveitaram essa onda e sua popularidade para fornecer produtos que usam novos canais para reduzir os custos de serviços.

Para acelerar ainda mais este segmento, a Visa está com um programa muito bacana chamado Track. O intuito é acelerar startups no Brasil e no Vale do Silício – com o apoio da GSVLabs, uma das maiores aceleradoras do mundo.

Como seu valuation, o Atom não revelou nenhuma métrica sobre seu uso. Tomando apenas os downloads do Android, a Google Play Store aponta entre 10 mil e 50 mil downloads do aplicativo. Para efeito de comparação, há 66 milhões de pessoas que vivem no Reino Unido hoje. Embora o banco esteja mirando apenas um determinado tipo de público, seus serviços não estão restringidos a eles.

Em qualquer caso, o foco hoje parece mais em lançar as bases para sua capitalização, para que possa construir sua base de clientes no futuro.

“Estamos muito satisfeitos com a resposta que tivemos dos investidores. Nossos clientes se beneficiam do apoio deles. Este é um grande voto de confiança em nossas perspectivas de crescimento e planos para o futuro. Com o trabalho que fizemos até agora, estamos apenas começando a ver como a transformação de nossa nova abordagem bancária pode ser. Há muito mais para vir do Atom nos próximos meses e anos”, comenta Anthony Thomson, fundador da fintech.

(via TechCrunch)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]