WeWork chega ao valor do SnapChat e já é 7ª maior startup do mundo

Avatar

Por Lucas Bicudo

11 de março de 2016 às 09:43 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A notícia que se espalhou no mundo dos negócios nessa última quarta-feira é que a startup WeWork está firmando uma nova rodada de investimentos que chegará ao valor de US$ 16 bilhões. Isso bate de frente com as recentes conversas sobre a bolha tecnológica e a morte de startups unicórnios.

As startups que conseguem convencer os investidores que seus prospectos de crescimento estão alinhados com um caminho aberto para lucros, não devem achar muitas dificuldades na hora de se arrecadar dinheiro. E vale o mesmo para o lado contrário da moeda: quem está projetando dificuldades na hora de crescer e um caminho nebuloso rumo aos lucros, obviamente acharão que o mercado anda mais pra lá do que pra cá.

Não se trata de uma bolha ou a ausência dela, como na crise dos “.com”. Trata-se de uma reciclagem de mercado, que é evidenciada no gráfico divulgado pela Statista, ao Business Insider. Nele, a WeWork  figura na 7ª posição, com o mesmo valor de mercado do aplicativo SnapChat.

O Uber lidera com US$ 51 bilhões, seguido pela chinesa Xiaomi, com valuation de US$ 46 bilhões. O Airbnb vem em terceiro, com valiation de US$ 25,5 bilhões e a Palantir vale US$ 20 bilhões. A Meituan-Dianping tem valor de US$ 18,3 bilhões, seguido por Snapchat, WeWork e Didi Kuaidi, com US$ 16 bilhões cada.