Você sabia que o bilionário Michael Dell é um dos compradores do UFC?

Avatar

Por Lucas Bicudo

12 de julho de 2016 às 12:47 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O UFC foi vendido. Mas como assim? Bem, vamos lá. Primeiro que o anúncio feito no último domingo (10), não é bem lá uma surpresa. Há dois meses o negócio já vinha sendo especulado, mas agora está confirmado.

O que aconteceu? Basicamente os irmãos Lorenzo e Frank Fertitta venderam por US$ 4 bilhões a companhia que adquiriram lá em 2001, há 15 anos, apenas pela quantia de US$ 2 milhões. Com isso, os dois cérebros da operação que levou o UFC ao estrelato saem de cena e Dana White continua como presidente e sócio minoritário. Quem assumirá a posição que era dos irmãos Fertitta será Ari Emanuel, um dos principais sócios da William Morris Endeavour (WME-IMG).

Entre os fundos que ajudaram a financiar a negociação estão o Silver Lake Partners – que controla WME-IMG -, o Kohlberg Kravis Roberts (KKR) e o veículo de investimento MSD Capital do bilionário Michael Dell, que hoje detém uma fortuna de US$ 17,6 bilhões.

Dell fundou a companhia que carrega seu nome em Austin, no Texas, em 1984. No ano fiscal de 2015 a empresa contabilizou uma receita de US$ 59 bilhões para os cofres da Dell, que monta alguns dos melhores notebooks atualmente. A participação do fundador da gigante da tecnologia será minoritária no acordo com o UFC, entretanto.

Mas o que significa essa venda? Vai tudo mudar? Resumidamente, o acordo trará mais profissionalismo e um enorme potencial de crescimento mundial ao MMA. O acordo não é feito pelo que vale hoje, mas certamente pelo que pode render no futuro. O futebol está no mundo todo e suas principais estrelas são conhecidas de Papua Nova Guiné até o Vietnam. As estrelas do Ultimate são realmente notórias nos Estados Unidos, Brasil e Canadá, no máximo.

Agora estamos diante de uma empresa que pensa grande, que tem entrada em todos os países e mercados com potencial esportivo. Para se ter uma ideia, o WME é dono de importantes torneios de tênis, da Liga Indiana de futebol, dos torneios europeus de basquete e representam atletas como Novak Djokovic, Maria Sharapova, irmãs Williams e a ex-campeã galo do UFC e uma das maiores estrelas da companhia Ronda Rousey.

O UFC estará nas mãos, sobretudo, de pessoas que vivem em função disso exclusivamente, de fazer dinheiro com esporte. É a chance de evoluir de nível.

(via Cnet)

Mensagem do Editor
Ei, tudo bom?
Gostaria de agradecer pela visita! Meu nome é Felipe Moreno, sou editor-chefe do StartSe e, como muito de vocês, dono de uma (minúscula) startup de mídia.
E vou te fazer um pequeno convite: vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui embaixo e eu vou te enviar alguns e-mails para você com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um empreendedor, funcionário, investidor ou apenas interessado neste maravilhoso mundo!
É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Conto muito com a presença de vocês neste papo!
[php snippet=5]