Você está usando CTAs corretos para atrair clientes para o seu negócio?

Avatar

Por Erica Queiroz

3 de novembro de 2016 às 10:29 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Para transformar visitantes do seu site em clientes, passando pelas etapas do funil de vendas, você precisa utilizar os CTAs corretos; caso contrário, poderá perder um potencial cliente, talvez em definitivo.

CTA, abreviação de call-to-action, nada mais é do que uma chamada para ação, que pode ser desde o convite para download de um ebook, a assinatura de uma newsletter gratuita, um vídeo de demonstração de seu produto ou serviço ou a chamada para a compra propriamente dita. Ou seja: é algo (geralmente um botão) que vai levar o visitante do seu site a tomar uma determinada ação, que poderá resultar em venda imediata ou futura.

O objetivo primário do CTA é conseguir alguma informação do visitante, mesmo que seja somente o seu e-mail, para transformá-lo em lead. Aí você deve nutrir esse lead até o final do funil, cujo objetivo máximo é a venda de seu produto ou serviço.

O problema é que muitas empresas não sabem usar o CTA na medida certa. Muitas delas criam landing pages com tantos botões de chamada para ação que o ex-possível-futuro-cliente se sente bombardeado, abandonando o site frustrado e irritado. Sabe aqueles sites em que você entra e aparece um pop-up “compre agora” e, ao fechá-lo e descer a barra de rolagem, a cada fim de parágrafo você encontra outro botão “compre agora”? Não rola! Fora que isso polui a página e não convida os visitantes à navegação da mesma.

Outro erro muito comum que as empresas cometem é utilizar o mesmo CTA para visitantes em diferentes estágios do processo de compra. Imagine você oferecer um “compre agora” para um cliente que acabou de entrar no seu site pela primeira vez. Nada mais invasivo e inconveniente. Utilizar um correto CTA para potenciais clientes em diferentes estágios do processo de compra requer um trabalhinho extra, mas que pode ser muito compensador quando você for analisar os resultados de vendas.

Algumas empresas linkam o botão de CTA para a home page do seu site. Este é um grande equívoco. Caso se trate de um download de ebook, por exemplo, crie uma landing page específica para o ebook, que dará mais informações persuasivas sobre o mesmo. Envolva o visitante!

Não utilizar CTAs adaptados para dispositivos móveis também é outro erro frequente. Usar Flash e animações também pode ser prejudicial à sua estratégia.

Uma dica interessante é usar CTAs nos e-mails que você envia para quem já os forneceu por meio de outro CTA. Você pode enviar uma newsletter, por exemplo, e convidar a pessoa a conhecer mais sobre o seu produto ou serviço clicando no “link ou botão a seguir”. Ou fazer o download de um ebook que forneça informações detalhadas sobre um produto específico, por exemplo. Com isso, vai fazendo com que um simples lead passe por outras etapas do funil de vendas e fique mais próximo de se tornar um cliente.

Encontrar o CTA ideal pode ser mais fácil do que se imagina. Basta fazer frequentes testes A/B para ver quais CTAs obtêm o melhor resultado. Assim, você vai lapidando-os para que gerem conversões ainda maiores, ou seja, transforma o que já está bom em excelente.

Enfim, paciência, testes, bom senso e segmentação são ferramentas essenciais para CTAs vencedores. Fazer CTAs adequados a cada público, limpos, objetivos, espaçados (não três a cada tela, por exemplo!) e que gerem valor para quem clicar neles, é o primeiro grande passo para uma estratégia de sucesso!