Valor de mercado do Snapchat pode chegar a US$ 19 bi

Avatar

Por Júnior Borneli

19 de fevereiro de 2015 às 11:22 - Atualizado há 6 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O aplicativo Snapchat está à procura de uma nova rodada de investimentos que pode elevar o valor da empresa a US$ 19 bilhões, tornando-se a terceira maior empresa financiada por capital de risco de todo o mundo.

O aplicativo oferece um serviço de envio de fotos que desaparecem, depois, em questão de segundos, quer captar até US$ 500 milhões, segundo uma pessoa próxima a organização que pediu para não ser identificada. Segundo essas informações, os executivos da empresa estão em conversas finais com gestores de alguns fundos e o anúncio do novo investimento pode ser feito em breve.

Você pode mostrar o seu potencial empreendedor para milhares de investidores e mentores. É só cadastrar a sua startup na plataforma StartSe (www.startse.com.br). É fácil, rápido e gratuito. Experimente!

A empresa com sede em Los Angeles teria, com isso, seu valor de mercado elevado de US$ 16 bilhões para US$ 19 bilhões. Com esse novo valor de mercado, a empresa estaria atrás apenas do aplicativo de caronas Uber e da fabricante de smartphones chinesa Xiaomi como as maiores startups apoiadas por capital de risco em todo o mundo. A Xiaomi está avaliada em US$ 45 bilhões, enquanto o Uber tem valor de mercado estimado em US$ 40 bilhões.

O Snapchat surgiu em 2011, fruto da ideia de estudantes da Universidade de Stanford, e desde então tem crescido consideravelmente e tomado sua posição no mercado. O CEO Evan Spiegel, 24 anos, chegou a recusar uma oferta de US$ 3 bilhões feita pelo Facebook em 2013 para a compra da startup, e então passou a arrecadar fundos de investidores.

Em 2014, o Snapchat conseguiu levantar mais de US$ 450 milhões com a ajuda de 23 investidores, entre eles o Yahoo! e a empresa de capital de risco Kleiner Perkins Caufield & Byers.

Fonte: Bloomberg