Uber entra no mercado de serviços financeiros

Avatar

Por Júnior Borneli

31 de julho de 2015 às 10:20 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O Uber, controverso aplicativo de transportes, lançou sua própria empresa de financiamento de veículos, em um esforço para recrutar cada vez mais motoristas. O objetivo é acelerar o rápido crescimento da base de motoristas e marca a entrada da empresa no segmento de serviços financeiros.

Garanta sua vaga no Accelerator Day, evento que pode transformar a sua história empreendedora! Confira a programação clicando aqui.

A jogada de Uber, anunciada como um projeto piloto nessa semana, significa o fim de sua parceria com o Banco Santander nos EUA que buscava justamente financiar veículos para novos motoristas cadastrados no serviço.

Ao anunciar a nova iniciativa, o Uber não deu grandes detalhes da operação financeira, embora tenha dito que tanto carros novos quanto usados serão contemplados.

Em novembro de 2013 a empresa havia firmado parcerias com fabricantes de automóveis para oferecer descontos para os condutores que não tinham carros, na esperança de que iria impulsionar o número de veículos disponíveis no seu serviço. Na época, o Uber disse que esperava para financiar 100.000 motoristas com essa iniciativa. Até agora, cerca de 20.000 motoristas já participaram do programa.

Andrew Chapin, um importante diretor do Uber, disse que as linhas de financiamento da empresa serão mais flexíveis do que as operações de leasing tradicionais.

O Uber é uma das empresas que mais cresce no segmento de economia compartilhada, operando em 57 países, com valor de mercado estimado em mais de US$ 40 bilhões. Por conta do seu modelo de negócios, a empresa tem se envolvido em conflitos com taxistas em diversos países.