Teria a CEO do Yahoo revelado mais do que deveria sobre a Apple?

Avatar

Por Lucas Bicudo

20 de julho de 2016 às 20:03 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Teria a CEO do Yahoo Marissa Mayer revelado algo que ela não deveria? Ao divulgar os resultados trimestrais da companhia na última segunda (18), ela curiosamente agradeceu a Apple no meio de uma lista de parcerias firmadas com mecanismos de pesquisa.

“Com esses mecanismos gerando mais da metade de nossa receita, essa continua sendo uma importante área para os negócios. Gostaria de agradecer a Microsoft, Google, Mozilla, Apple, Oracle e outros”, disse.

As parcerias com a Microsoft, Google, Mozilla e Oracle são bem conhecidas, mas a menção ao nome da Apple foi inédita e o suficiente para levantar suspeitas. Não é que as duas companhias não sejam parcerias. Elas são. A Yahoo controla o aplicativo de ações que vem embutido nos iPhones e os usuários podem escolher a plataforma como mecanismo de pesquisa do Safari, por exemplo.

Mas estamos falando de side business.

A verdadeira galinha dos ovos de ouro da Apple é a barra de busca padrão do iPhone, que impulsiona uma quantidade insana de tráfego, dado o número de aparelhos que circulam diariamente pelo mundo. Hoje o Google é quem controla essa opção – segundo um funcionário, a empresa pagou para a Apple a bagatela de US$ 1 bilhão pela aquisição do serviço e já chegou a dividir 34% de toda a receita gerada anualmente.

Nos últimos anos foi muito comum a especulação sobre a Apple dispensar o Google como o mecanismo de pesquisa padrão de seus aparelhos. O site The Information veiculou uma matéria em que afirma que o contrato entre as duas empresas estava previsto só até 2015 e, tanto a Microsoft, quanto o Yahoo, estariam interessados na substituição. Será?