Sympla compra Eventick e projeta vendas brutas online de R$ 250 milhões em 2017

Da Redação

Por Da Redação

19 de dezembro de 2016 às 18:40 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Uma grande startup brasileira está se tornando uma startup gigantesca! A Sympla, a principal empresa do mercado de ingressos e eventos, acaba de realizar a aquisição da Eventick, sua principal concorrente.

Embora o valor não tenha sido revelado, a companhia mostrou para o StartSe seus planos futuros: projeta ter uma venda bruta online de R$ 250 milhões em 2017, um salto de 112% frente o que foi registrado até agora em 2016.

A empresa já havia saltado 180% em suas vendas brutas online do ano retrasado para este, pulando de cerca de R$ 42 milhões para R$ 118 milhões. O salto foi praticamente o mesmo em número de eventos, pulando 173% para 58.246 eventos. A aquisição deverá fazer a Sympla se consolidar como líder no mercado brasileiro de eventos do-it-yourself.

Com a Eventick, a Sympla aumenta sua presença em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. “Esta operação é um marco na jornada de crescimento e fortalecimento do mercado de plataformas de eventos do Brasil”, diz Rodrigo Cartacho, CEO da Sympla. “A chegada da Eventick vai nos permitir levar para mais produtores e compradores pelo país uma experiência de compra e gestão de eventos moderna, simples, ágil e confiável”, complementa.

O namoro já acontecia há muito tempo entre as duas empresas. “Nós já nos conhecíamos há um bom tempo e tínhamos clientes que faziam eventos nas duas plataformas. Acabamos percebendo que as empresas tinham uma compatibilidade muito grande, o que culminou na aquisição da nossa plataforma.  Acabamos optando por um modelo simples de venda da operação. Iremos consolidar o produto e prestação de serviços na plataforma da Sympla gradualmente e de forma estruturada ao longo dos próximos meses”, destaca André Braga, cofundador do Eventick.

As duas plataformas continuarão rodando paralelamente por um tempo. “Não haverá nenhuma mudança brusca e as pessoas poderão, inclusive, continuar criando eventos no Eventick. No futuro, nós iremos começar a fazer algumas mudanças tecnológicas, mas será um processo bem gradual”, destaca Cartacho.

O que não significa que não teremos mudanças nos serviços nos próximos meses – tudo, acredita o CEO da Sympla, para melhorar o serviço. “O que muda agora é que as duas equipes já estão trabalhando juntas e somos um só. Queremos unir o melhor das duas empresas para todos os clientes”, completa.

Bootstrap com sucesso

A Sympla é um dos poucos casos de companhia que realizou um bootstrap com sucesso no Brasil. Foi apenas em junho deste ano que a Sympla recebeu seu primeiro investimento. Foi um aporte de R$13 milhões da Movile, companhia fortíssima neste mundo, atual controladora do iFood.

A empresa conseguiu atingir o breakeven cedo e cresceu sem capital externo por quatro anos. Só que depois do aporte, cresceu muito e muito forte. Dê uma olhada:

“O investimento da Movile permitiu que criássemos novas estratégias para crescer mais e mais rápido. Este é o foco do investimento, poder tomar mais riscos e pensar em novos modelos de crescimento. A aquisição da operação do Eventick é parte da nossa estratégia de ampliação de mercado e de capilarização por todo o país. A operação permite que alcancemos muito mais organizadores e compradores finais de uma maneira mais rápida”, diz Cartacho.

Brasileira com presença global

Com a Eventick, a Sympla se torna mais forte e pode focar na expansão fora do país – depois que conseguir capturar o mercado nacional. “Ainda existe muito mercado para a Sympla crescer no Brasil. Sempre digo que nosso maior custo é o custo de oportunidade. Nosso foco está em garantir que consigamos continuar crescendo e expandindo por todo o Brasil. ‘Going Global’ é algo que sempre analisamos, mas no curto prazo, estamos totalmente focados no mercado nacional”, explica o CEO.

Por isso, a regra agora é só uma: manter o bom trabalho que permitiu que a empresa crescesse e chegasse no nível de sucesso que chegou. “ Hoje somos a empresa com o maior número de eventos à venda do Brasil e queremos seguir fortalecendo nossa liderança como plataforma de ticketing. Para isso, precisamos de muito foco e disciplina em nossa estratégia de expansão”, termina o CEO de, agora, uma das maiores startups nacionais.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]