Startup investe R$ 10 milhões e promete remodelar o ensino à distância

Avatar

Por Lucas Bicudo

13 de outubro de 2016 às 13:22 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Com tecnologia 100% brasileira e um investimento de R$ 10 milhões, o Neo Idea é um dispositivo de armazenamento portátil, compatível com qualquer entrada USB, que funciona como uma chave de segurança que torna os conteúdos exclusivos e seguros de cópias e piratarias. A ideia do Neo partiu da urgência de compartilhar, com segurança e certificação, conhecimentos e informações que eram restritas apenas a alguns grupos e segmentos.

Sua proposta é aliar o fundamental de uma sala de aula tradicional – que é a interação entre professor e aluno – com o melhor, mais seguro e moderno ensino à distância.  A primeira aposta do Neo é na medicina.

Segundo Alcir Abuchaim, criador da plataforma, a escolha do setor educacional médico baseou-se numa pesquisa de mercado, que mostra que nos últimos 5 anos foram abertas mais de 80 escolas médicas, trazendo mais de 200 mil novos profissionais nos próximos 10 anos. Entretanto há pesadas críticas sobre a qualidade desses médicos que estão entrando no mercado. A startup busca aproximar os melhores professores e conteúdo dos alunos de todo o Brasil, democratizando o ensino.

A plataforma utiliza o sistema e-live, em que o aluno, mesmo distante, está totalmente envolvido com o que está sendo ensinado pelos professores. Isso porque o sistema autentica este aluno quando ele loga em um computador ou mesmo quando entra em uma sala de aula. Quando ele abre qualquer outra tela no computador, é automaticamente deslogado da aula. É como se ele tivesse saído da sala, tornando o aprendizado mais dinâmico, efetivo e confiável.

O Neo também traz ao mercado métodos de interação que medem a retenção de atenção do aluno e traz ao professor, em questão de segundos, métricas que mostram se eles estão absorvendo o conteúdo. Com isso, é possível rapidamente trazer novas abordagens sobre o conteúdo da aula de forma instantânea e dinâmica.

“Tenho plena certeza de que este é um momento decisivo e definitivo para o ensino de medicina. Precisamos nos modernizar e levar os ensinamentos da sala de aula para outros lugares, precisamos utilizar a tecnologia para democratizar nossos ensinamentos. O Neo apresenta exatamente o que sempre imaginamos: levar ensino de qualidade para novos horizontes sem deixar de lado a figura humana em cada ponta. Não importa o quão distante fisicamente esteja o aluno, ele estará constantemente presente e interagindo com o professor. É algo único, necessário e urgente”, avalia Pietro Novellino, membro titular da Academia Nacional de Medicina desde 1982 e presidente da mesma instituição por três vezes.

A primeira parceria de distribuição de conteúdo foi efetivada, em março de 2016, com o MARC – Instituto de Anatomia de Miami, que é uma das instituições de ensino mais importantes e conceituadas do mundo. O curso Anatomy.Live inaugura a série de modalidades que serão oferecidas nas instituições parceiras, como o Instituto de Pesquisa e Pós Graduação Carlos Chagas, a Universidade Severino Sombra (USS) e a Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), que endossam e certificam o quesito pedagógico e educacional.

“A Internet é um local rico em dados, mas muito fácil de burlar e de encontrar informação errada. Quando apresentamos a proposta do Neo e do Anatomy.Live para as instituições eles identificaram, pela primeira vez, possibilidades de disponibilizar um material extremamente rico e único, que vai ser passado para alunos de diferentes localidades, com total segurança e responsabilidade”, afirma Abuchaim.

O conteúdo segue 5 diretrizes essenciais a implementação de um ensino a distância de qualidade: Registrar e autenticar a presença e a interação simultânea de professores e alunos; Manter o máximo de 45 alunos por sala; Estabelecer horários de início e término das aulas; Mensurar a atenção e assimilação do conhecimento pelos alunos em todas as aulas; e Padronização pedagógica incluindo suporte na produção de conteúdo.

“O que entra no Anatomy.Live são cursos e aulas de extrema qualidade, que antes ficavam restritas às salas de aula destas instituições e que, a partir de agora, estarão disponíveis para alunos de medicina do Brasil todo. É um marco na educação nacional”, finaliza o CEO.

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!