Startup do Dia: rede social brasileira tem 15.000 usuários, mas sonha com 130 milhões

Da Redação

Por Da Redação

8 de agosto de 2016 às 19:08 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Você quer encontrar um psicopata? Dê a ele um gato e pergunte, na semana seguinte, se ele faz alguma coisa de especial. Se ele falar que não, parabéns, você encontrou um psicopata.

A história aí só mostra uma coisa: ser humano ama seus bichinhos de estimação. Eu mesmo tenho três gatos (Gandalf, Arya e Darth Vader… fui eu que escolhi os nomes, para o azar da minha noiva) e meu Facebook é lotado de fotos sobre os animais. A ponto de alguns curiosos, leitores do StartSe, me mandarem mensagens elogiando a aparência dos bichanos. Aliás, são dois deles que ilustram essa matéria.

É apostando neste público que um brasileiro resolveu criar uma rede social só para bichinhos. “O Instapet é o aplicativo da rede social de compartilhamento de fotos feita exclusivamente para animais de estimação. Com ele você pode criar perfis, editar e publicar fotos com mais de 16 tipos de filtros, fazer vídeos engraçados, criar novos amigos e conversar muito pelo chat com os amiguinhos”, conta Brunno Velasco, fundador da Instapet.

Esse mercado é extremamente vasto e o aplicativo vai ganhando alguma popularidade entre os donos de animais, que, como era de se esperar, adoram tirar a foto dos animais e compartilhar. “Já estamos chegando a 15.000 usuários ativos”, diz.

O potencial é muito maior. “Hoje temos 132 milhões de pets no Brasil, fonte do IBGE. O Snapchat tem 200 milhões de usuários e vale mais de US$ 20 bilhões. A intenção é ter um investidor pra aumentar o número de usuários e ganhar com as publicidades patrocinadas (como já existe no Instagram) e um dia, quem sabe, vender o app”, afirma Velasco.

Talvez ele não consiga alcançar status de unicórnio dentro do Brasil, limitado a esse potencial. Mas quem sabe um Boi Tatá, o animal brasileiro, e valer cerca de R$ 20 milhões, R$ 30 milhões? Já é uma quantia extremamente interessante para o usuário.

Para isso, ele coloca alguns pequenos diferenciais em relação ao Instagram – que tornam a rede social um pouco mais bonitinha. “Existem mais de 16 tipos de filtros, além de poder editar cada foto adicionando textos, emotions e stickers (figurinhas engraçadas). Além disso, todos podem conversar no chat em modo privado ou criar seu próprio grupo de conversas”, destaca.

E como muitos empreendedores, ele teve a inspiração através de algo que aconteceu em seu cotidiano. “As minha filhas me pediram pra criar um perfil no Instagram da Mel, a cachorrinha delas. Só que elas usavam o meu celular para publicar fotos da Mel, fazer novos amigos, etc… Para isso eu tinha que sair do meu perfil pessoal do Instagram e entrar no perfil da Mel quase toda hora. Foi ai que eu tive a ideia de desenvolver um app só para os Pets mas que tivesse a mesma ideia do Instagram. Então surgiu o Instapet”, afirma o empreendedor.

Talvez por isso o Instapet seja uma boa rede social para crianças, começarem a se familiarizar com essa tecnologia sem se exporem demais e sem atrair pessoas indesejadas. É interessante. O aplicativo já pode ser baixado por qualquer pessoa que quiser. “O app na plataforma iOS faz 1 ano nesse mês de agosto e o do Android foi lançado em fevereiro desse ano de 2016”, afirma.

Mensagem para você: 
 
Você tem uma startup? Quer aparecer no nosso portal? Inscreva-se na nossa plataforma e envie um e-mail para nosso editor-chefe!