Startup do Dia: plataforma disponibiliza serviço de troca de brinquedos usados que o quanto mais se pratica, mais se conquista

Avatar

Por Lucas Bicudo

25 de julho de 2016 às 16:31 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Sabe aquele brinquedo que já está encostado em algum canto da casa empoeirando? Que tal em vez de comprar um novo – e gastar uma bela grana, convenhamos -, você trocá-lo com outras crianças através de uma plataforma virtual? Essa é a proposta do Brincou Trocou.

“A ideia do BrincouTrocou veio depois de observar a quantidade de brinquedos que meus sobrinhos e amigos com filhos pequenos deixam largados em suas casas. Percebi também que as crianças brincam por um período e depois deixam de lado querendo brincar com algo diferente”, explica Daniel Pinho, responsável pela criação e administração da startup.

O serviço funciona da seguinte forma: a criança escolhe o brinquedo que quer trocar, fotografa, cadastra no site e pensa em qual gostaria de receber. O interessante é que não é preciso, de fato, trocar um brinquedo pelo outro. A plataforma disponibiliza um sistema de moedas virtuais que são conquistadas a cada produto oferecido para troca. Essas moedas acumuladas podem ser usadas para “comprar” o brinquedo que interessa ou custear as taxas de entrega dos Correios.

“Um problema comum em todos os sites de troca é a necessidade de haver a combinação perfeita entre as duas partes para que a troca ocorra. Isso dificulta muito o processo, pois além da criança gostar do brinquedo de outra pessoa, ela ainda precisa ter um brinquedo que agrade aquela pessoa. Justamente nesse ponto o Brincou Trocou se diferencia dos outros sites de troca. No Brincou Trocou você troca o seu brinquedo por moedas virtuais que permitem escolher o brinquedo de qualquer outra criança no site. Para facilitar ainda mais criamos aplicativos para IOS e Android que facilitam bastante o cadastramento dos brinquedos”, continua.

Quando você se cadastra, recebe 10 moedas virtuais de prata. Ao cadastrar um brinquedo no site para disponibilizar para troca você recebe mais 10 moedas de prata por cada brinquedo cadastrado. Depois que preencher o seu endereço o site irá calcular automaticamente quantas moedas de prata custariam para solicitar um brinquedo. O número de moedas é equivalente ao custo do sedex para envio.

Digamos que você viu um brinquedo que custaria 30 moedas de prata para solicita-lo. Caso você tenha essa quantidade de moedas na sua conta, basta ir no produto e adquiri-lo. Um e-mail será enviado para a pessoa que possui o brinquedo e essa terá que disponibilizar o número de acompanhamento de entrega. Desse jeito, quando a transação for completa, as moedas caem na conta de quem vendeu e esse agora é capaz de escolher o brinquedo de outra pessoa, se beneficiar de um sistema de trocas virtuais que o quanto mais você pratica, mais você ganha.

“Como pais, acabamos querendo dar tudo aquilo que não pudemos ter, o que é um erro porque crianças se contentam com muito pouco. Sendo usado ou não, eles ficam felizes de poder trocar o brinquedo antigo por outro”, afirmou Sigrid Costa Valbão, de 39 anos, à Gazeta Online.

Em sua primeira experiência, a professora cadastrou quatro brinquedos antigos que seu filho não usava mais. Trocou por uma quantidade de moedas que foram o suficiente para que o menino pudesse escolher um outro brinquedo que tanto ansiava.

“O antigo dono era do Rio de Janeiro. Ele enviou pelos correios, pagou pela taxa e o brinquedo chegou mais rápido do que esperávamos. Cézar ficou muito feliz. No outro dia ele acordou mais cedo que o de costume, de tão ansioso que estava para brincar”, relata.

O site tem apenas 10 meses, 2.700 usuários e 230 brinquedos cadastrados. Até o momento já foram realizadas 100 trocas para diferentes estados. Para os próximos passos, Pinho diz:

“Estamos em busca de investidores para levar nosso projeto para o próximo nível. Já validamos o modelo de negócio e temos um público potencial de 11 milhões de crianças que vivem em zona urbana e são das classes B e C”.

Mensagem para você: 
 
Você tem uma startup? Quer aparecer no nosso portal? Inscreva-se na nossa plataforma e envie um e-mail para nosso editor-chefe!