Startup do Cubo: FullFace traz tecnologia precisa de reconhecimento facial

Avatar

Por Lucas Bicudo

27 de dezembro de 2016 às 14:44 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O Cubo Coworking Itaú recentemente comemorou seu primeiro aniversário e promoveu um evento para empreendedores, investidores, representantes de grandes empresas, imprensa, startups e influenciadores do ecossistema. O StartSe esteve lá e teve a oportunidade de conhecer de perto as residentes da casa e seus projetos inovadores. Queremos te contar uma por uma, por isso damos início a série Startups do Cubo. A de hoje é o FullFace.

Com o avanço da tecnologia, cresce também a necessidade de ampliar os níveis de segurança em diversos ambientes e em vários processos. Assinatura eletrônica, token e biometria já estão amplamente associadas à segurança financeira em bancos.

Mas, como controlar acesso físico à instituições com precisão? Como assegurar que uma pessoa – e só ela – poderá fazer uma prova de faculdade via web? Essas perguntas passam a ter resposta com a chegada da FullFace, startup brasileira que desenvolveu tecnologia própria de reconhecimento facial, capaz de se integrar facilmente com soluções  já existentes.

“Nossa tecnologia torna o processo de segurança em algo personalizado, automatizado, simples e rápido. Além disso, possibilita um amplo monitoramento e uma assertividade que nenhuma outra forma permite. Digital, retina, íris e voz são pouco práticas, necessitam de hardwares específicos e não possibilitam interações automáticas, o que dificulta sua utilização em ambientes virtuais (web e mobile) e inviabiliza a sua aplicação em grandes projetos”, afirma Danny Kabiljo, Diretor Comercial da FullFace.

Com velocidade de reconhecimento de menos de 1 segundo, a tecnologia determina um CPF facial para cada indivíduo.

O reconhecimento da maioria dos provedores atuais reconhece apenas 86 pontos dos rostos das pessoas, enquanto que a solução FullFace chega a 1024, com uma velocidade de processamento muito superior e baixo consumo de memória.

A tecnologia tem aplicação óbvia para controle de entrada e saída em ambientes restritos, mas tem outras variáveis que possibilitam uma sensível evolução dos níveis de controle de individualidade e relacionamento com cliente.

Exemplos são abertura de conta corrente mobile, realização de prova web, anti-fraude, controle de ponto remoto, atendimento personalizado, monitoramento em estádios, identificação de suspeitos e até cadastro e credenciamento em feiras e eventos.

“Nossa tecnologia pode e deve ser aplicada com diversos propósitos e por isso ela é adaptável para estes fins. A fácil integração com hardware e software foi uma premissa do desenvolvimento, de modo que a FullFace seja uma camada de segurança prática e de rápida integração”, finaliza.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]