Startup cria seringa que cura ferimento à bala em segundos e pode salvar milhares de vidas

Da Redação

Por Da Redação

14 de dezembro de 2015 às 15:49 - Atualizado há 5 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Um grupo de pequenas esponjas pode mudar a maneira socorristas tratam as vítimas de armas e soldados feridos.

Baseada em Oregon, a startup RevMedx projetou o XSTAT 30, um dispositivo tipo seringa que injeta esponjas de absorção de sangue em uma ferida, selando-o em menos de um minuto, como relatado pela revista Science.

A FDA, departamento do governo dos Estados Unidos que regula a produção de medicamentos, aprovou o dispositivo para uso civil em um comunicado de imprensa em 07 de dezembro.

Quando os médicos atendem às vítimas de tiros, o objetivo é manter o paciente vivo até que ele possa ser devidamente transportado para um centro de tratamento.

A maneira atual como eles fazem isso é através do tratamento da ferida com gaze e pressão. O médico introduz gaze diretamente dentro da cavidade da ferida, por vezes profundamente no corpo, e mantém a pressão sobre o local.

“De acordo com o United States Army Institute of Surgical Research, de 30 a 40 por cento das mortes de civis por lesão traumática são o resultado de uma hemorragia”, disse a FDA. “Dessas mortes, 33 a 56 por cento ocorrem antes que o paciente chega a um hospital.”

É por isso que controlar hemorragias graves é fundamental na prevenção de choque e até mesmo para salvar uma vida. Em um esforço para tornar o processo mais rápido e eficiente, o XSTAT 30 foi concedido primeiramente para uso no campo de batalha, em abril de 2014. As minúsculas esponjas injetadas na ferida são feitas de polpa de madeira e revestido em quitosana, uma substância antimicrobiana que coagula o sangue e vem de cascas de camarão.

John Steinbaugh, vice-presidente da RevMedx, disse que as esponjas expandem até 15 vezes seu tamanho quando fazem contato com o sangue. Uma vez que eles se expandem, as esponjas aplicam pressão interna nas paredes da cavidade da ferida e criam uma barreira para bloquear o fluxo de sangue.

Embora o número de esponjas necessários para controlar eficazmente a hemorragia varia dependendo da ferida, cada aplicador pode absorver cerca de um litro de sangue e até três aplicadores podem ser usados ​​em um paciente. As esponjas XSTAT 30 podem ser utilizadas por no máximo quatro horas, de acordo com a FDA.