Solução para burlar o bloqueio do WhatsApp existe, mas pode não ser segura

Downloads de ferramentas que mascaram rede podem roubar os dados dos usuários

Avatar

Por Paula Zogbi

17 de dezembro de 2015 às 09:05 - Atualizado há 4 anos

Desde que uma decisão da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo suspendeu, por 48h, o serviço de mensagens WhatsApp, os usuários estão buscando todas as maneiras possíveis para tentar burlar o bloqueio e continuar conversando através do app. Mas nem todas essas maneiras, que são amplamente divulgadas, são seguras para o usuário.

A principal maneira de seguir conversando pelo app é fazer o download de alguma VPN, virtual private network, ou rede virtual privada na sigla em inglês. Trata-se de uma maneira de mascarar o IP, ou a origem do acesso do usuário – sabe a “navegação segura” na internet? Então. Na prática, as VPNs redirecionam o acesso para fora do país, a algum lugar em que não há bloqueio.

O problema é que, ao fazer isso, os dados da sua conexão saem do país junto com a sua navegação. As VPNs têm acesso a poucos ou quse nenhum dos seus dados, como qualquer outra conexão, mas podem ser menos seguras por estarem “mais longe”. Ao usar uma dessas conexões, evite fazer transações bacárias, por exemplo, ou qualquer outra que necessite de muitos dos seus dados pessoais. Preste muita atenção também às permissões que o app pede antes de aceitá-las.

Fora isso, é possível que até mesmo essas VPNs passem a ser bloqueadas, até para a sua segurança, e porque muitas vezes este tipo de rede é usado para atividades ilegais, como downloads de torrents.

Se mesmo sabendo de tudo isso você quer continuar usando o WhatsApp nestes dois dias, é possível baixar aplicativos de inúmeros fabricantes para tal: o BetterNet, por exemplo, existe tanto para iOS como para Android.