Se você quer ter uma startup, esta é a hora!

Avatar

Por Júnior Borneli

14 de julho de 2016 às 17:24 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Você já deve ter ouvido aquela frase “na crise é que estão as oportunidades”. Pois é, isso é fato provado e presente no nosso cotidiano.

Você sabia, por exemplo, que algumas das empresas mais revolucionárias e valiosas do mundo nasceram durante a grave crise de 2008? Os períodos de dificuldade econômica e desemprego forçam as pessoas a encontrarem alternativas para avançar e o empreendedorismo é, muitas vezes, a melhor saída.

Startups como o Airbnb, por exemplo, que une pessoas a imóveis disponíveis, nasceu em 2008 e hoje vale quase U$ 30 bilhões de dólares. Quer outro exemplo? O Uber, que tem causado uma revolução no mundo todo permitindo que motoristas particulares transportem passageiros e cobrem por isso, foi criado em março de 2009 e vale nada menos que U$ 65 bilhões de dólares.

Startups que surgiram durante a crise de 2008:

Slide2

A lista de startups que nasceram na última grande crise financeira mundial e hoje são gigantes é imensa e inclui ainda Spotify, Slack, Cloudera e tantas outras.

A receita que tornou isso possível é uma junção de necessidade + oportunidade + inovação. Some a isso a conectividade cada vez maior no mundo todo e você tem um ambiente totalmente favorável para o surgimento de negócios revolucionários, que resolvem problemas reais das pessoas e crescem em larga escala, apoiados pela tecnologia e conectividade.

E sabe por que eu disse no início que essa é a melhor hora para empreender no Brasil? Estamos enfrentando, segundo alguns analistas, a mais grave crise financeira da nossa história. O desemprego atinge cerca de 11,5 milhões de pessoas e as taxas de juros e inflação são as mais altas dos últimos anos. Você deve estar se perguntando: “tá bom, mas esse é o cenário ideal para abrir um negócio?”. A resposta é sim! Milhões de pessoas precisam encontrar uma fonte de renda e por isso precisam encontrar ou criar oportunidades. E para isso é preciso inovar, encontrar uma forma diferente e melhor de fazer aquilo que os outros já fazem.

Vou dar um exemplo de como é possível fazer isso até mesmo num setor onde a competitividade é imensa e desproporcional, o setor bancário. Quem poderia imaginar que uma startup seria a maior emissora de novos cartões de crédito no Brasil, superando bancos como Bradesco e Itaú? O Nubank cresceu de forma astronômica nos últimos anos porque entregou uma solução para os clientes de uma forma inovadora, reduzindo as tarifas a zero num período em que a economia vai mal e a renda per capita caiu. O resultado: a empresa vale mais de U$ 500 milhões de dólares.

O ambiente de crise e dificuldade financeira faz com que as pessoas sejam, obrigatoriamente, mais inovadoras e se esforcem mais para superar seus desafios. Isso gera um movimento positivo de criação de novas startups, nos mais variados segmentos de mercado.

Por falar em inovação, bati um papo de 1 hora com Gustavo Caetano, fundador da SambaTech, falando sobre como é possível inovar mesmo em um ambiente não muito favorável.

A economia do Brasil dá sinais de recuperação e as projeções dos analistas para 2017 e 2018 são de retomada do investimento externo, queda nos juros, redução da inflamação e recuperação da indústria. Isso significa que os investidores estarão mais dispostos a investir em negócios inovadores que tragam retorno expressivo no médio prazo, já que seus ganhos com aplicações financeiras serão menores do que agora.

O número de startups no Brasil cresce a cada dia e cada vez mais investidores de mercados tradicionais começam a olhar para esse segmento. Nos Estados Unidos, por exemplo, são mais de 200 mil investidores-anjo, contra apenas 7 mil aqui no Brasil.

Comparação entre os mercados dos EUA e Brasil:

Slide1

Enquanto lá fora esse mercado movimenta mais de U$ 50 bilhões por ano, aqui esse valor não ultrapassa os U$ 3 bilhões. Isso significa que há um espaço gigantesco para crescimento e o surgimento de novas empresas inovadoras é fundamental para aumentar o número de cases de sucesso, que por consequência incentivam mais e mais empreendedores a criarem novas startups e investidores a aportarem mais capital.

Aliás, um dos maiores especialistas em captação de investimento no Brasil é o empreendedor Tallis Gomes, do Easy Taxi, que falou comigo sobre esse tema durante uma aula ao vivo, que você pode assistir clicando aqui.

Estamos vivendo uma era onde um negócio criado no Brasil, em Angola ou no Vietnã têm as mesmas chances de se tornarem empresas milionárias. O que nós precisamos é de empreendedores corajosos, dispostos a correr o risco e se libertar das amarras das zonas de conforto.

Você provavelmente está lendo esse texto porque o encontrou no Facebook, no LinkedIn ou em algum site. Ferramentas que, com certeza, foram criadas por pessoas que tiveram a coragem de enfrentar as crises e enxergaram oportunidades. Acredite, você pode fazer o mesmo!

E olha só: se você não sabe por onde começar, indico o e-book que escrevi para ajudar empreendedores que estão na fase inicial de criação de uma startup. É só clicar aqui e fazer o download gratuito.

Gostou deste texto? Me siga nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/jrborneli
Linkedin: https://br.linkedin.com/in/juniorborneli
Instagram: https://www.instagram.com/juniorborneli/

E se você gosta de discutir sobre o mercado de startups, falar de inovação e investimento, assista também ao Conexão Vale do Silício, programa que conecta diversas pessoas em lugares diferentes do mundo. Eu participei das últimas duas edições, que você pode conferir aqui.