Sabe como as mudanças no Facebook podem impactar o seu negócio?

Avatar

Por Erica Queiroz

15 de janeiro de 2018 às 10:08 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

No final da semana passada, Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, anunciou mudanças que prometem mudar a forma como o feed de notícias é visto pelos usuários da rede social.

Nós, que usamos o Facebook diariamente, reparamos que, nos últimos anos, começamos a ser bombardeados por notícias e vídeos, e acabamos vendo cada vez menos os posts dos nossos amigos, o que era o objetivo inicial da rede. Isso aconteceu porque muitas empresas de notícias passaram a utilizar o Facebook como o seu veículo principal de divulgação de artigos, além da quantidade cada vez maior de vídeos que bombam na rede.

É claro que os sites de notícias postam infinitamente mais do que os usuários comuns, fazendo com que o nosso feed fique entupido de notícias o tempo todo, e nós vejamos cada vez menos os posts dos nossos amigos e parentes.

Além disso, nesse mesmo período, entramos na era das “Fake News”, as notícias falsas que são divulgadas por aí e replicadas no Facebook. Muitos usuários acabam por compartilhá-las sem checar a fonte e a sua veracidade, o que tem incomodado muita gente.

Isso tudo resultou num leve declínio nos acessos à rede social. Como Zuckerberg está sempre pensando no futuro, resolveu fazer algumas alterações na rede, para que esta voltasse ao seu objetivo original, que era ajudar as pessoas a se conectarem com quem importa.

De acordo com pesquisas acadêmicas e também pesquisas feitas pelo próprio Facebook, “quando usamos as rede sociais para nos conectarmos com pessoas importantes para nós, isso pode ser bom para o nosso bem-estar”. Assim, conforme essas alterações forem sendo colocadas em prática, passaremos a ver mais conteúdo de amigos, familiares e grupos, e menos de empresas, marcas e veículos de mídia. Zuckerberg afirma estar em busca de que os usuários tenham um “tempo bem gasto” enquanto navegarem pela rede.

No entanto, a grande dúvida que paira no ar é: “como ficarão os anúncios das empresas no Facebook?”. Se vamos ver menos conteúdo externo e mais conteúdo de amigos, certamente veremos menos posts não pagos de empresas. Assim, se as empresas quiserem aparecer mais, parece meio óbvio que terão que gastar mais, já que os seus posts terão alcance orgânico infinitamente menor – e vamos combinar que eles já estavam bem prejudicados, com cada vez menos curtidas, não é mesmo?

Assim, caro leitor que possui uma startup e não quer investir muito no início… seus planos terão que mudar. Nem que seja para buscar outras redes ou meios para concentrar os seus investimentos…

Fontes: Facebook/Fortune