Rio de Janeiro e Portugal fazem parceria para internacionalizar startups

Da Redação

Por Da Redação

28 de setembro de 2016 às 11:49 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A SECTI (Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação) do Governo do Rio de Janeiro e a SEI (Secretaria de Estado da Indústria) de Portugal assinaram um acordo para firmar parceria para para elaborar ações conjuntas, promover discussões e troca de conhecimento técnico para a internacionalização de startups. Essa parceria abre as portas para a implantação de projetos e desenvolvimento de políticas públicas de estímulo às microempresas cariocas e portuguesas de base tecnológica.

De acordo com o acordo, haverá a cooperação técnica para promoção e participação ativa do estado do Rio em eventos de startups em Portugal, além de ajuda do ecossistema empreendedor em eventos similares no Rio. Ambos os governos se comprometeram a realizar uma série de medidas: promover discussões, sistematizar e disseminar boas práticas para startups, além de propor e elaborar práticas conjuntas e incentivar o debate acerca dos desafios das novas empresas de base de tecnologia.

“Precisamos pensar o Rio para além do petróleo. Identificamos a inovação como uma vocação natural do Estado do Rio e o Startup Rio é um programa de estímulo ao empreendedorismo digital que está inserido nesta estratégia. O governo está atuando como indutor da inovação”, comemorou o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro, Gustavo Tutuca.

O evento de assinatura contou com uma breve apresentação do Startup Lisboa e do Startup Rio, além do pitch de três startups brasileiras e três portuguesas. “Avançamos no mesmo caminho. Temos todas as razões para estarmos juntos, já que vivemos momentos econômicos e históricos semelhantes. Em Portugal, 50% dos novos empregos estão sendo criados por empresas com menos de cinco anos de existência e isso demonstra a importância da inovação. Portanto, só temos a ganhar indo em conjunto”, disse João Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria de Portugal.

O acordo terá vigência de 36 meses e permitirá a troca de informações, networking, mentoria, educação, consultorias em segmentos como economia criativa, Tecnologia da Informação e Comunicação e biotecnologia. “Estamos adotando as mesmas práticas e isso confirma que seguimos no caminho certo. A minha missão é transformar conhecimento e tecnologia em produtos inovadores. Para isso, a FAPERJ vem investindo pesadamente em tecnologia e inovação. A gente tem que se preparar para o futuro, para que as ações tenham continuidade, para que as empresas cresça”, disse o presidente da FAPERJ, Augusto Raupp.

[php snippet=5]

E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!