A queda da Washio e o dilema das startups sob demanda ou Uber de tudo

Avatar

Por Isabella Câmara

9 de janeiro de 2017 às 14:47 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Washio era uma startup que oferecia um serviço bem especifico: Lavanderia sob demanda. Operando em grandes cidades como Boston, San Francisco e Nova York, ela tinha tudo para ser mais um membro do rebanho dos unicórnios.

Oferecia um serviço sob demanda (algo super na moda), recebeu alguns milhões de investimento 16.82 milhões de doláres para ser mais exato de investidores anjo como Ashton Kutcher e Naan, além de firmas de investimento como Canaan Partners.

O grande problema? Não conseguir fazer dinheiro.

A Washio enfrentou um dos maiores problemas da economia sob demanda, ou o Uber de qualquer coisa. As margens minimas de operação, além disso, o serviço começou a ter que lidar com competição feroz de outras empresas como Flyclearners e Cleanly.

Abaixo você pode ver a Carta de despedida da Washio para seus clientes:

Dear Washio Community, We started Washio some 4 years ago with a simple goal in mind: to clean the world’s clothes. That mission began from our kitchen counter, and led us through an incredible journey over the last few years as we became the nation’s largest dry clean and laundry service. We served our loyal customers in six cities across the country, 7 days a week, morning noon and night, with 24-hour turnaround for clean clothes. A proposition that still, to this day, does not exist in the offline world. We generated millions in revenue and hundreds of thousands of orders, but the nature of startups is being innovative and venturing into uncharted territory: sometimes you make it, sometimes you don’t. We are proud of what we accomplished along the way: over one million items of clothing dry cleaned, and over 21,000 tons of laundry washed and folded! As of Aug 29, Washio will be shutting down its operations. No more orders will be accepted and outstanding orders will be returned promptly to customers. We are not alone in believing in Washio’s core business, technology and team, and hope it lives on in some shape or form in the future. But, that story has yet to be told… From the bottom of our hearts, we want to thank you for all of your support and belief in Washio, our vision and our love for sharing cookies and clean clothes. Sincerely, Jordan, Juan and Bob Washio Co-Founders

Carta de despedida da Washio

Mas a questão aqui, vai muito além da Washio e sua queda, o que está em dicussão é o modelo de serviços sob demanda.

Sim, oferecer ao cliente a possibildiade de ter o que ele quiser quando quiser parece ótimo, deu certo para a netflix, e está permitindo que empresas como UBer e Cabify prosperem, mas isso não significa que essa seja a melhor abordagem para qualquer situação.

A menos que o que você está oferecendo seja algo que as pessoas nunca sabem quando vão precisar e precisam com uma frequencia relativamente alta como diversão no caso da Netflix, ou transporte para Uber e Cabify, oferecer serviços sob demanda é normalmente uma péssima ideia.

Pouco dinheiro por venda

Observando meu histórico do uber vejo que mesmo sendo um usuário assiduo, meu ticked médio é baixo, algo próximo a 15 reais. A Uber fica com cerca 25% disso, ou seja, para cada corrida que faço a empresa recebe em média R$3,75. E ainda precisa arcar com os custos de transação e operacionais. Essa combinação faz com que hoje a empresa gaste mais dinheiro do que ganha.

Quando empresas operam com uma combinação de margens e tickets pequenos, elas precisam apostar no volume de transações caso queiram realmente faturar.

Nem tudo é sob demanda

Qual foi a última vez que precisou lavar roupas em cima da hora? Agora, relacione isso com a frequencia na qual lava roupas de forma pensada ou planejada e veja se a conta fecha.

Se a frequencia de vezes em que precisou de forma inesperada não for maior do que 20% das que fez de forma pensada, provavelmente você não seria um usuário de um serviço sob demanda.

Não acredita?

Pense em quantas vezes você precisou usar um Taxi sem ter planejado e compare com quantas vezes pensou em pedir um previamente (vamos dizer, pelo menos 24 horas). Pense em quantas vezes você pensou em ver um filme ou seriado e compare com quantas vezes simplesmente sentou no sofá ou ligou o computador, o mesmo para músicas…

A verdade é que o número de serviços pássiveis de atendimento sob demanda de forma sustentável é menor do que parece. Sim, você pode uberizar quase tudo, mas nem todo uber de alguma coisa é sustentável.

 

Gostou desse texto? Compartilhe com seus amigos e conheça o Empreenda Junto