Parabéns, Reino Unido! Você destruiu o melhor ecossistema de startups da Europa…

Da Redação

Por Da Redação

24 de junho de 2016 às 13:39 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Alguns fatores faziam Londres um lugar muito promissor para startups. Vários desses fatores se foram ontem, conforme pouco mais da metade dos britânicos foram às urnas para votar no “Brexit”, a saída do Reino Unido da União Europeia.

Em uma trama que mais parece com o começo do “V de Vingança” o Reino Unido escolheu sair da União Europeia de vez. Rever um punhado de leis e acordos conjuntos. E isso vai prejudicar o principal cenário para startups em toda Europa: Londres.

Em um setor competitivo como fintech, Londres conseguia ser até mais importante que o Vale do Silício. Não mais.

O Brexit fará com que a atração de jovens talentos seja mais difícil. A economia britânica mais isolada. Regras para internacionalização mais complicadas, graças a perda do famoso “passporting”. Regras e regulações que fariam Londres tão atraentes serão revistas.

O investimento externo em startups de Londres, que chegou a US$ 1 bilhão em 2015, deverá cair fortemente. Aliás, a expectativa é que vejamos uma queda de investimentos na casa de US$ 5 bilhões, com várias empresas mudando para os Estados Unidos e resto da Europa.

E isso se o Brexit não for apenas o começo de uma guinada nacionalista no Reino Unido (ver o líder do UKIP, Nigel Farage, discursar me lembra muito o vilão do V de Vingança e de 1984, diga-se de passagem) que vai deixar as coisas ainda piores.

A indústria de tecnologia apoiava o Bremain – uma pesquisa mostrou que 90% das pessoas ali queriam a permanência, inclusive 100% dos cargos que envolviam tecnologia de fato.

A Libra Esterlina despenca junto com a bolsa de Londres. Alguns fundadores já mostram interesse em mover suas empresas para a Europa continental (Alemanha, sua sortuda), embora os comentários que estejam sendo feitos a respeito do assunto indiquem que o mercado empreendedor europeu será muito mais hostil.

O país acordou sem liderança política e talvez novas eleições sejam feitas, com a eleição de um governo mais restritivo que antes. E a política europeia também perde com isso: o Reino Unido era o país que mais brigava por leis pró-startups dentro da União Europeia. Isso também vai secar.

Enfim, uma decisão que não animou ninguém fora os 51% de pessoas que votaram a favor do Brexit. Vamos ver no que vai dar…

(via Recode)

Mensagem do Editor

Ei, tudo bom?

Gostaria de agradecer pela visita! Meu nome é Felipe Moreno, sou editor-chefe do StartSe e, como muito de vocês, dono de uma (minúscula) startup de mídia.

E vou te fazer um pequeno convite: vamos bater um papo! É só se cadastrar aqui embaixo e eu vou te enviar alguns e-mails para você com o melhor do nosso conteúdo para te ajudar, seja você um empreendedor, funcionário, investidor ou apenas interessado neste maravilhoso mundo!

É um caminho de comunicação direto que nenhum outro portal oferece para seus leitores. E a intenção é construir uma comunidade vibrante que esteja preparada para todos os enormes desafios que virão. Vamos construir conhecimento e conteúdo juntos! Conto muito com a presença de vocês neste papo!

[php snippet=5]