Os próximos iPhones podem não ter nem entrada para fones de ouvido

Avatar

Por Paula Zogbi

1 de dezembro de 2015 às 09:34 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Em breve, pode ficar mais difícil escutar música no seu celular – se você for usuário de iPhone.

De acordo com o blog japonês Mac Otakara, a saída de áudio tradicional, de 3,5mm de diâmetro, pode ser banida dos próximos smartphones da Apple, por ser “larga demais” – e o provável iPhone 7 deve ser mais de um milímetro mais fino do que os atuais 6S e 6S Plus.

Mas isso não significa que a Apple  esteja impedindo os usuários de ouvir música, claro.

Aparentemente, serão lançados também fones de ouvidos (EarPods) compatíveis com a entrada “Lightning”, usada atualmente para carregar os aparelhos. Ou seja: nada de escolher qualquer tipo de fone para usar com seu celular. Os EarPods também viriam com um conversor de analógico para digital em seus plugs, já que o som que sairia dos Lightning plugs seria digital.

Já existem alguns fones de ouvido compatíveis com a entrada que carrega o iPhone, como os Reflect Aware, da JBL, e os Fidelio, da Philips. Na conferência de desenvolvedores WWD deste ano, a Apple pareceu bastante interessada na tecnologia.

Há algumas questões envolvidas, porém.

Por exemplo, se a entrada de carregador e fones de ouvido for a mesma, as pessoas não poderão mais escutar música enquanto carregam o celular – embora isso seja um “aquecedor de aparelhos” poderoso, o hábito é muito comum.

De qualquer maneira, a nova tecnologia poderia permitir novas ferramentas, como maior controle sobre o som que sai dos fones e a possibilidade de tirar ruídos, por exemplo – justamente por ser uma tecnologia digital.