O maior medo dos advogados já pode ser resolvido em 2020 com ajuda da tecnologia

Victor Hugo Bin

Por Victor Hugo Bin

8 de fevereiro de 2019 às 17:46 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os números do setor jurídico no Brasil são grandes em todos os sentidos.

Dentre os mais de 207 milhões de habitantes no país, existem:

  • +16 mil unidades judiciárias;
  • +100 milhões de processos;
  • +1 milhão de advogados;
  • +R$80 bilhões em despesas do judiciário.

O país possui o maior número de advogados e instituições de ensino deste setor no mundo inteiro.

Mas nem isso acaba com a quase infinita fila de processos e a burocracia no setor.

Segundo o CNJ, o tempo médio para um processo em 1ª instância ser concluído no Brasil leva em média 4 anos e 4 meses.

Um tempo maior que um mandato presidencial. Isso se você não recorrer para instâncias superiores, o que torna os prazos um absurdo de se esperar.

O próprio CNJ divulgou que 70% do tempo gasto com tramitação em processos judiciais é gasto com atos burocráticos.

Só que enquanto advogados sofrem com processos burocráticos e tribunais não dão conta de tantos processos – frustrando clientes que esperam anos por um simples desfecho jurídico – as startups jurídicas (lawtechs) estão mostrando com tecnologia e mindset que o setor jurídico pode ser muito mais rápido e útil do que o modelo atual.

Entenda onde elas estão entrando para causar essas mudanças:

  • Cruzamento de Dados para Agilizar Informações de Processos;
  • Atualização de Processos em tempo real;
  • Agilidade entre departamentos jurídicos e advogados, promovendo acordos entre as partes muito mais rapidamente;
  • Diminuir o tempo dos processos nos tribunais;
  • Até mesmo Inteligência Artificial para prever as decisões processuais nas mãos de determinado juiz.

Como você (advogado) pode trabalhar agora?

Imagine você poder montar petições com um clique! Afinal, para advogados especializados, praticamente 90% das petições são praticamente iguais, mudando apenas nome e qualificação.

A inteligência artificial poderia resolver isso de forma simples, a um clique de distância, usando especificações pré-estabelecidas para associá-las a textos, citações, etc.

Conseguir atender a todos os seus clientes em tempo real, sem precisar ficar com cada um ao telefone informando como anda o processo dele.

Uma simples plataforma onde sua base de clientes será notificada a cada novidade sobre o seu processo pode deixar clientes felizes e advogados com mais tempo para trabalhar em cada um dos casos.

Você, advogado, terá um papel muito maior na intermediação de conflitos do que juízes.

Você será o “juiz” dos seus próprios processos. Ir à Justiça é demorado e custoso. Colocar essa decisão na mão do juiz (um terceiro, no caso) com uma fila de 100 milhões de processos acontecendo em paralelo, as chances dele não estar tão por dentro do processo e das partes envolvidas quanto o advogado são enormes.

Por isso, uma solução de conflitos muitas vezes é a opção mais rápida e barata para todos os lados na maioria das vezes.

Audiências virtuais serão possíveis. Essa é uma das partes mais importantes do processo. Mas nem sempre uma das partes pode comparecer – distância muitas vezes é o maior impeditivo.

Em 2012 a primeira audiência virtual já aconteceu, pois uma das partes estava fazendo doutorado em Portugal na época. Essa é uma alternativa inteligente para evitar que o processo demore muito tempo para ser resolvido.

Na realidade altamente tecnológica em que vivemos, capazes de verificar a identidade de pessoas à distância e qualidades de imagem altas mesmo em transmissões à distância, audiências como essas devem se tornar comuns.

Isso reduz muito os custos do judiciário e também da ação, tanto para o jurisdicionado quanto para o advogado.

O Maior Medo dos Advogados

Só essas soluções tecnológicas já tornariam a vida dos advogados bem mais fácil.

Entretanto, talvez o maior “medo” e frustração que 9 em 10 advogados têm é: não fazerem nos escritórios o que eles levaram 5 anos aprendendo na universidade.

Muitos lidam com trabalhos burocráticos e processos repetitivos, como simplesmente preencher planilhas.

Estudar meia década para não focar em um trabalho intelectual e estratégico faz muitos profissionais reverem suas profissões. O lado bom é que empresas de tecnologia e as lawtechs investem pesadamente para automatizar processos como esses.

A burocracia pode ficar para trás em breve, para finalmente o advogado desenvolver atividades realmente importantes, como analisar e interpretar os dados coletados diretamente pelas aplicações.

E desenvolver a melhor linha na defesa e atendimento do seu cliente, saindo de uma vez do “modo automático”.

As lawtechs atraíram muito interesse dos investidores, captando mais de 1 bilhão de dólares no setor em 2018. Mais de 150 delas já estão atuando em 12 setores diferentes no Brasil neste exato momento.

Os desafios e oportunidades por aqui são tão altas, que recentemente foi criado no Brasil o primeiro Centro de Inovação no Mercado Jurídico. O país foi escolhido por causa da relevância no mercado local, potencial criativo e complexidade regulatória.

Temas como Inteligência Artificial, Blockchain e Big Data são discutidos ali e levado para dentro dos escritórios. A demanda ainda é baixa diante do número de profissionais do país. Mas mostra que o mundo jurídico no Brasil já “abriu” os olhos para essa realidade.

Se você é estudante de advocacia, gestor de escritórios, servidores do poder judiciário ou advogado:

Você quer começar a fazer parte da advocacia 4.0 ou continuar no modelo  burocrático tradicional?

Para te ajudar nesse caminho e a tornar sua vida no setor jurídico muito mais fácil e produtiva, a StartSe realiza este mais uma edição do principal evento sobre inovação e tecnologia no setor jurídico do Brasil, e um dos maiores do mundo: o Lawtech Conference.

O objetivo dele é dar a você, advogado e profissional do setor, acesso aos profissionais e empresas mais inovadoras do setor para você entender como essa nova dinâmica vai impactar o Futuro do Direito e como você pode ter acesso a tudo isso no dia a dia do seu escritório ou ambiente de trabalho.

Este ano o evento será ainda melhor do que antes:

  • 2 dias de evento (1 dia a mais do que nos anos anteriores);
  • 100% Online e Ao Vivo;
  • Os maiores nomes do Direito;
  • Acesso a todas as gravações;
  • Materiais Extras dos palestrantes;
  • Acesso à Feira de Startups e Expositores do Setor;

Clique aqui e confira todos os profissionais que estarão no evento, além de uma condição especial para garantir seu ingresso.