O Google consegue invadir quase três quartos dos celulares Android remotamente

Avatar

Por Paula Zogbi

24 de novembro de 2015 às 11:57 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Um escritório de advocacia em Nova York divulgou em um relatório que versões mais antigas dos dispositivos com sistema operacional Android podem ser acessadas remotamente pelo Google se houver uma ordem judicial para que investigadores acessem seus conteúdos.

De acordo com o documento, esse acesso se torna impossível a partir da versão 5,0 do sistema por usarem criptografia em todo o disco. Mas nem todos os aparelhos com estas versões já vêm de fábrica com essa função habilitada.

Os dados dos desenvolvedores mostram que 74,1% dos dispositivos Android ainda estão usando versões que podem ser acessadas remotamente pelo Google.

Ao site The Next Web, um porta-voz do Google disse que o acesso só é possível se o usuário bloquear o dispositivo com um padrão como senha: PINs numéricos sempre foram seguros contra a medida.

Nos aparelhos com iOS, o sistema operacional da Apple, maior concorrente do Android, possuem este tipo de proteção desde a versão 8; e ela já vem habilitada de fábrica. Normalmente, em Androids, ela é encontrada nos menus “segurança” ou “armazenamento”.