O ecossistema brasileiro de startups está em um momento muito especial

Da Redação

Por Da Redação

10 de novembro de 2016 às 15:03 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nunca antes na história deste país foi tão bom e fácil empreender. Embora ainda exista um caminho extenso para percorrer para facilitar o empreendedorismo no Brasil, o ecossistema de startups nacional nunca contou com tanta facilidade.

Essa é a avaliação de Maria Rita Spina, diretora-executiva da Anjos do Brasil. A associação é um dos principais nomes do ecossistema nacional e vem fazendo coisas maravilhosas por ele nos últimos anos. “O mercado tem crescido muito e está entrando em consolidação, é um momento muito especial”, destaca Maria Rita.

A novidade mais recente da Anjos é um super guia que pode ajudar e muito as pessoas envolvidas. “Fizemos o guia de investimento anjo e documentos legais. Pode ser baixado gratuitamente”, destaca. Você pode conferir o guia e baixa-lo isso através deste link.

Com ele, a Anjos continua o trabalho árduo de educar o mercado para que ele continue avançando – algo que está no DNA da associação desde sua fundação. “Queremos empoderar tanto empreendedores quanto investidores, além dos advogados”, explica.

Isso é muito necessário em um ambiente que nem o brasileiro, que embora tenha melhorado muito, ainda tem muito a simplificar e melhorar – e conhecimento é extremamente necessário para navegar nestas águas. “Existe no Brasil uma complexidade imensa. Se todos os públicos conhecerem melhor, farão uma negociação melhor para todos”, conta.

Mais próximo de quem precisa aprender

Para melhorar ainda mais, a Anjos está também tentando entender melhor quem é o investidor em startups que já está na rede dela. “Estamos fazendo um trabalho de estruturação dentro da rede de investidores, para aumentar nossa efetividade. Estamos conhecendo melhor nossos investidores e os seus perfis. Isso vai ajudar bastante”, afirma.

Com esse trabalho, a Anjos consegue entender mais as dores dos investidores e consegue se posicionar melhor para ajuda-los, principalmente em um segmento com tantas peculiaridades como o de startups.  “O investidor precisa entender as peculiaridades, entender a lógica do investimento em startups”, salienta Maria Rita.

E também no sentido de preparar os empreendedores a ficarem no ponto apto para receber os investimentos – através de um importante e forte braço educacional para empreendedores dentro da Anjos. “O empreendedor pode se preparar melhor para apresentar seu negócio para a Anjos do Brasil”, destaca.

Ela conta que há algumas iniciativas sendo desenvolvidas neste sentido para que empreendedores estejam mais qualificados. “A Anjos tem feito alguns eventos de perguntas e respostas para empreendedores. Além disso, entendemos que existe um valor agregado no ato de investir, não é só dinheiro”, conta.

Como um exemplo, tem que se entender que um negócio não é apenas uma forma de ganhar dinheiro. “Cada vez mais empreendedores querem entender o impacto sócio ambiental de seus negócios. Os investidores também precisam saber o valor de olhar para negócios que além do retorno financeiro que gerem impacto sócio ambiental”, salienta.

A estrela principal, contudo, continua sendo os empreendedores e seus negócios – e é importante que eles saibam do que estão fazendo. “Se não houver um empreendedor incrível, não tem negócio incrível“, completa Maria Rita.

A conferência da Anjos da Brasil e o ecossistema

Mas talvez a principal das iniciativas seja a Conferência Anual da Anjos. “Temos algumas ações, como a nossa conferência, que ocorre no dia 5 de dezembro”, conta. E vai ser uma GRANDE conferência, você pode conferir toda a programação através deste link (e se inscrever também).

A conferência é sensacional para mostrar que o ecossistema está cada vez maior, crescendo, agregando mais pessoas e talentos. Muito melhor do que cinco anos atrás, quando a Anjos engatinhava. “O ecossistema brasileiro está amadurecendo muito, está cada vez mais completo”, salienta.

Para ela, os avanços deste período são: o ecossistema ganhou corpo, instituições e está cada vez mais completo. “Ele está se ajustando, se construindo. Cinco anos atrás não tínhamos um ecossistema completo. Não tínhamos aceleradoras, não tinha fundos que faziam Series A. Hoje temos entidades de fomento que não tínhamos na época“, explica.

Os avanços do ecossistema não param. Uma recente conquista foi a aprovação do projeto do Simples, sancionado por Michel Temer, que traz muito mais segurança para o investidor-anjo do Brasil. “Temos um movimento da aprovação do projeto de lei do simples. Essa aprovação facilita uma série de coisas para o empreendedorismo brasileiro”, destaca.

As principais instituições nacionais entenderam que as startups criam riquezas e empregos para o Brasil – inclusive a que tem maior potencial de atrapalhar. “O governo tem se conectado cada vez mais com o ecossistema e isso é muito positivo”, termina Maria Rita, mostrando que o futuro deverá ser cada vez mais positivo para o ecossistema de startups. Assim esperamos!

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]