Nubank levanta investimento de mais US$ 80 milhões para novos produtos

Da Redação

Por Da Redação

7 de dezembro de 2016 às 14:22 - Atualizado há 4 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

O Nubank acabou de levantar um investimento de US$ 80 milhões em um round de captação de Serie D. Embora o valuation não tenha sido revelado, a startup ainda não se tornou um unicórnio – valendo menos de US$ 1 bilhão.

O último round havia sido com valuation de US$ 500 milhões. Estimativa de uma pessoa ligada ao mercado de fintechs é que o Nubank tenha sido avaliado em US$ 800 milhões neste round. A expectativa é que a empresa use esse dinheiro para contratar mais pessoas e novos produtos.

O round foi liderado pela DST Global, que já havia investido em empresas como Alibaba, Facebook, Twitter, Spotify e Slack. Este é o primeiro investimento no Brasil. Sequoia, Tiger Global, Founders Fund e QED também foram investidores.

É válido notar que a crise política e econômica brasileira pressiona os valuations para baixo, principalmente quando se trata de uma captação no exterior, como foi o caso desta. O Nubank se beneficia da crise, no momento em que é gratuito – enquanto seus principais rivais não o são.

Por isso, o cartão de crédito roxo mais amado do Brasil já teve 7 milhões de pedidos, com uma lista de espera de 500 mil pessoas. Mais de 75 milhões de compras foram feitas usando cartões Nubank até agora.

A companhia pretende lançar um novo produto nos próximos meses: um serviço de fidelidade, que deverá ter uma pequena mentalidade. É um prenúncio para a criação de um novo banco brasileiro, totalmente digital e voltado para o cliente.

Grandes empresas, como Bradesco e Banco do Brasil, já começaram a se esforçar para criar alternativas ao Nubank. Fica claro que grandes empresas precisam trabalhar com startups para não ser engolidas por elas – algo que ressaltamos no Corporate Class, um evento exclusivo em São Paulo para tratar de inovação.

(Via TechCrunch)

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]