No Vale do Silício, profissionais recorrem a LSD para trabalhar melhor

Avatar

Por Paula Zogbi

15 de dezembro de 2015 às 10:51 - Atualizado há 5 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

De acordo com uma reportagem publicada na revista Rolling Stone, nos Estados Unidos, os profissionais do Vale do Silício estariam recorrendo a uma solução pouco usual para melhorar desempenho e criatividade: o LSD. Mas sem exageros.

No texto, da edição de novembro, a revista relata a experiência de um profissional de 25 anos de idade, com mestrado em Stanford, que trabalha em uma companhia de tecnologia e teria atingido resultados significativos com doses pequenas da droga. Segundo o depoimento, a microdosagem teria feito com que ele conseguisse explorar novas maneiras de pensar. “Você ficaria surpreso com a quantidade de pessoas que está fazendo isso”, ele diz.

O artigo está chamando atenção também porque existem outras pessoas de outras áreas que afirmam sentir benefícios pelo uso de pequenas doses da droga. Como a substância é ilegal, pesquisas mais profundas sobre o real efeito não podem ser realizadas, e ficamos sem saber quais seriam os reais efeitos no longo prazo do seu uso controlado.

De qualquer maneira, o psicólogo James Fadiman realizou alguns testes que teriam descoberto que o LSD possui efeitos que poderiam substituir alguns remédios, usados para o mesmo fim de desempenho, como o Adderall.