Nissan aprova demissão de Carlos Ghosn

Da Redação

Por Da Redação

22 de novembro de 2018 às 17:05 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A diretoria da Nissan votou por unanimidade nesta quinta-feira para destituir o presidente Carlos Ghosn e o diretor representante Greg Kelly de seus cargos, três dias depois de a empresa apurar que ambos estavam incorrendo em má conduta financeira.

Leia, Carlos Ghosn, da Nissan, é preso no Japão por fraude financeira.

Ghosn e Kelly foram presos na segunda-feira por promotores por suspeita conspirar para reduzir a compensação reportada à câmara de valores mobiliários em cerca de US$ 44 milhões ao longo de cinco anos. Os executivos estão presos em uma prisão em Tóquio. Até o momento, eles não foram formalmente acusados ​​de nenhum crime.

A emissora pública de rádio NHK informou que o ex-promotor Motonari Otsuru, agora em escritório particular, está representando Ghosn. O escritório do Sr. Otsuru se recusou a comentar.

A Nissan informou, após ter concluído a investigação interna, que Ghosn cometeu falta grave em três áreas: ter incorretamente reportado sua compensação por muitos anos, usar um fundo de investimento da empresa para propósitos pessoais, e arquivar inadequadamente as despesas. A empresa alegou que o Sr. Kelly, um antigo braço direito de Ghosn, foi o “mentor do operação”.

Os sete membros restantes da diretoria da Nissan se encontraram por várias horas até a noite de quarta-feira na sede da Nissan em Yokohama, ao sul de Tóquio. O conselho aprovou a remoção do título do presidente do Sr. Ghosn e a remoção do Sr. Kelly como diretor representante, um título que, de acordo com a legislação societária japonesa, confere a uma pessoa direitos especiais para agir em nome da empresa.

A Nissan informou que, por enquanto, os executivos permanecem como membros do conselho. Um porta-voz disse que removê-los dessa posição exigiria uma votação dos acionistas. A Nissan anunciou que esta estudando como melhorar sua governança corporativa.

Renault nomeia CEO interino

A Renault indicou líderes interinos para administrar a montadora francesa e supervisionar sua participação em uma aliança global com a Nissan após a prisão do presidente-executivo Ghosn no Japão.

O conselho da Renault informou que havia indicado Thierry Bolloré, o segundo maior executivo da empresa, para atuar como vice-presidente executivo em caráter temporário. Philippe Lagayette, diretor independente da Renault, foi nomeado presidente interino, disse a empresa.