Confira os modelos de negócios e algumas das startups mais quentes para 2017

Avatar

Por Lucas Bicudo

13 de fevereiro de 2017 às 15:36 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

De acordo com a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), são sete os modelos de negócios que merecem destaque para 2017 – aqueles que devem crescer acima da média. Há oportunidades interessantes em áreas como fintechs, O2O, sustentabilidade, saúde e nutrição, Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Corporate Venture.

Depois de esgotar todas as vagas para a turma de janeiro, em tempo recorde, o Accelerator Day abre inscrições para a turma de março. A expectativa é de fazer o melhor treinamento já realizado, superando todas as últimas 10 edições. Focado em oferecer ferramentas e conteúdo de altíssima qualidade, baseado em técnicas de aceleração de startups do Vale do Silício, o treinamento oferece 10 horas de trabalho intenso e muito produtivo.

Confira alguns exemplos de startups que fazem parte destes nichos de mercado e o que elas projetam para 2017:

Fintech

Contribuindo para descomplicar processos contábeis de rotina a Contabilizei é um belo case de fintech. O sistema desenvolvido agrega praticidade e eficiência ao empreendedor dos setores de serviços e comércio. Ajuda a resolver pendências contábeis das mais diversas, como emissão de nota fiscal eletrônica, controle de resultados e guias online de impostos.

Em 2016, a empresa teve um crescimento de 140% na sua base de clientes. Em maio, conquistou o prêmio de Melhor Negócio B2B da América Latina pelo Latam Founders. Agora, trabalha com a expectativa de crescer três vezes mais. Apenas para o primeiro semestre deste ano, deve ampliar sua base em 120%.

Outra tendência de fintech são os meios de pagamento. Neste cenário, surge a KiiK. Até o final do ano, mais de 2 mil estabelecimentos devem aceitar a startup como meio de pagamento. Em vez do cliente entregar o cartão de crédito ao lojista, ele seleciona no aplicativo qual o cartão deseja utilizar e a forma de pagamento. Para finalizar a compra, basta aproximar o celular do QR Code ou digitar seu código de identificação.

Além disso, a KiiK é a primeira fintech brasileira a oferecer pagamento por meio de Chatbot, outra aposta que promete ganhar força em 2017. Ao solicitar a conta, o cliente acessa o aplicativo – Telegram ou Messenger do Facebook – que, por meio de geolocalização, entende que está no restaurante e que vai pagar a conta. Então, basta digitar o valor e a cobrança será feita no cartão de crédito do cliente, que já cadastrou o número na plataforma.

O2O

Um estudo da Associação Brasileira de Serviços Online para Offline (ABO2O) aponta projeção de mais de R$ 1 trilhão em transações nos aplicativos O2O até 2020. Esse é um modelo de negócio que utiliza canais online para oferecer produtos e serviços offline. O Vá de Táxi, aplicativo da Porto Seguro, trouxe para o mercado a desburocratização do serviço. “Projetamos um crescimento de mais de 200% na operação, baseada principalmente, no nosso projeto de expansão para todas as regiões do país”, diz Tatiana Vecchi, CEO da startup.

Sustentabilidade

Uma maneira de diminuir a emissão de gases danosos à atmosfera é aderir a onda do carsharing. Trata-se de um modelo mais econômico e sustentável de transporte. Uma das opções mais populares em São Paulo é a Zazcar. Com 52 pontos espalhados pela cidade, a startup permite que o usuário alugue um carro pagando por hora e quilômetros percorridos, sem limitação de horas de uso. É um esquema diferente das tradicionais locadoras de veículos, onde você precisa fechar uma diária e com antecedência. Todo o processo é feito por meio do aplicativo, desde o cadastro, até o destravamento do veículo. Para 2017, a Zazcar projeta aporte de R$ 7 milhões para aumentar sua frota e o número de postos de retirada de carros.

Outro case é a Strider, startup que oferece inovações tecnológicas para o mercado agrícola. Ela desenvolve ferramentas que auxiliam o monitoramento ostensivo da lavoura e agilizam o processo de tomada de decisão do agricultor. O dono da fazenda faz uma aplicação controlada de agrotóxicos, reduzindo o desperdício de insumos e a quantidade de produtos químicos despejados no campo. A Strider já monitora o maior número de hectares pagos do mundo – são mais de 500 fazendas que aplicam suas ferramentas sobre um território de mais de um milhão de hectares, distribuídos por quatro países. Após fechar o ano passado com faturamento 2,5 vezes superior a 2015, a empresa pretende investir, este ano, mais de R$ 4 milhões em novas tecnologias e na expansão de serviços. A meta é crescer três vezes mais.

Saúde e nutrição

Oferecer um novo canal de vendas para as principais farmácias e drogarias do país. Ao mesmo tempo, possibilitar comodidade e as melhores ofertas na compra de medicamentos, produtos para higiene pessoal, cosméticos e suplementos aos consumidores. É com essa proposta que surge o Farmácias APP, primeiro marketplace mobile especializado em saúde e beleza. Lançado no início do mês, o app oferece a possibilidade de o usuário pesquisar o produto desejado e em seguida comprar diretamente pela plataforma. Atualmente, é possível efetuar os pedidos nas redes Drogaria São Paulo, Drogaria Pacheco, Época Cosméticos, Bel Col, Homeopatia Brasil e Vitalis Pharma. “Nos próximos meses, a expectativa é de que mais farmácias, drogarias e redes varejistas sejam incorporadas ao sistema. Em uma projeção conservadora, esperamos que 1 milhão de usuários baixem o aplicativo até o final de 2017”, afirma o sócio Robson Michel Parzianello.

Inteligência artificial

Nos últimos anos, a Inteligência Artificial deixou de ser algo exclusivo de filmes de ficção científica. O grande case atualmente talvez seja o de chatbots. A Nama é a primeira empresa no país a desenvolver um sistema próprio de Inteligência Artificial para robôs de atendimento. A startup oferece ao mercado uma plataforma de chatbots prontos para automatizar serviços e tarefas, informar, vender e auxiliar, independente do canal. Segundo o Bank Of America Merrill Lynch, o segmento deve movimentar US$ 153 bilhões até 2020. Com a Nama, qualquer empresa pode oferecer ao público um atendimento omnichannel, uniforme e 24/7. A startup já tem como clientes o banco Bradesco, a gigante de telecomunicações Accenture e o Poupatempo. Para 2017, a empresa espera registrar crescimento de 300%.

Internet das coisas

Ferramentas de analytics, como a da Seed Digital, já são uma realidade no mercado. Elas vem ajudando os varejistas a identificarem suas deficiências e otimizarem sua gestão de taxa de conversão. Isso através da análise fluxo em lojas de rua e shoppings. A empresa pode analisar, por exemplo, a audiência de vitrines. Assim será capaz de mapear a atratividade sobre as pessoas que transitam próximo ao estabelecimento. É possível conhecer o sexo e o perfil de quem a vitrine chamou atenção e também saber quem entrou na loja depois de olhar para ela. A expectativa de crescimento da empresa para 2017 é de 50%.

Corporate Venture

Rapiddo, startup de delivery on-demand, firmou parceria com uma das maiores empresas brasileiras de logística integrada, a Modern Logistics. O objetivo é unir a expertise de ambas empresas para estruturar uma plataforma de distribuição nacional. A Modern possui avançados centros de distribuição espalhados estrategicamente pelo país. Com o Rapiddo, esta estrutura vai se beneficiar da capilaridade e a avançada tecnologia da startup, sobretudo no que diz respeito à logística de última milha, um serviço ainda carente nas cidades brasileiras – que retarda, principalmente, o desenvolvimento do setor de e-commerce e dificulta o surgimento de novos modelos de comercialização.

Com essa parceria, será possível combinar a frota de entregadores em nuvem do Rapiddo, com a infraestrutura multimodal da Modern, oferecendo uma solução de impacto para o setor. “Em 2017 queremos crescer 250%. O que tornará isso possível é a expansão do nosso serviço para restaurantes e também a estruturação de um serviço com foco em e-commerce”, afirma Guilherme Bonifácio, CEO do Rapiddo.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]