Ministério anuncia programa para aproximar a indústria de startups

Avatar

Por Lucas Bicudo

20 de setembro de 2016 às 14:02 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) Marcos Pereira anunciou o início das atividades do Programa Nacional Conexão Startup-Indústria, elaborado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), que busca aproximar as indústrias das startups do país e contará com investimentos de até R$ 10 milhões.

“O futuro do Brasil passa pela inovação. Todos os países desenvolvidos já avançaram neste tema e estão na nossa frente. Este é o pontapé inicial de um grande projeto para o país”, destacou.

Ao longo da última quinta-feira, a ABDI promoveu o Laboratório de Modelagem – Conexão Startup-Indústria, que reuniu especialistas para repensar e redesenhar propostas de convergência entre os ecossistemas de startups e da indústria brasileira, com foco na integração digital das diferentes etapas da cadeia de valor dos produtos industriais, desde o desenvolvimento até o uso.

“O Brasil não pode perder mais cérebros. Esperamos que com as ações deste programa o país aumente sua competitividade e a indústria passa a contar com soluções tecnológicas desenvolvidas dentro de casa e não mais no exterior”, faz coro o presidente da ABDI, Guto Ferreira, demonstrando que o governo reconhece a importância dos empreendedores nacionais.

Em 2015, a ABDI deverá investir R$10 milhões no Programa Conexão Startup-Indústria, mas prevê a entrada de novos parceiros, o que poderá aumentar as quantias envolvidas no programa. “Nós teremos conversas neste sentido com a presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), Maria Silvia Bastos, e com o novo presidente da Finep, Marcos Cintra”, disse.

Participaram das atividades representantes da CNI, Sebrae, Senai, Embraer, além de diversas aceleradoras, para promover a integração entre as demandas da indústria e a capacidade de criação e de atendimento dessas demandas por parte das startups. O resultado desse esforço será o alicerce do programa, que nasce do movimento de cocriação e da colaboração dos principais players do mercado. Este será o primeiro dentre uma série de encontros e ações de validações.

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!