Melhor da América Latina, Aceleratech planeja mudanças estratégicas

Novo posicionamento traz ao mercado 5 novas unidades de negócio, abrangendo de maneira estratégica empreendedores, investidores e grandes empresas.  

Avatar

Por Lucas Bicudo

11 de Maio de 2016 às 15:56 - Atualizado há 4 anos

Após ser considerada pela 3ª vez consecutiva a Melhor Aceleradora de Startups da América Latina, pelo LatAm Founders – considerado o “Oscar das Startups” -, a Aceleratech anunciou sua nova estratégia e posicionamento de negócios, que tem como objetivo se tornar o mais completo ecossistema de empreendedorismo do país.

Hoje, quarta-feira (11), às 17h, acontecerá um hangout ao vivo com Pedro Waengertner e todo o pessoal responsável por esse crescimento para comentarem sobre essa nova etapa da companhia.

Agora chamada de ACE, a aceleradora se torna um grupo composto por cinco unidades de negócio, focadas no desenvolvimento de startups, investimentos e empresas em busca de inovação. Trata-se um ecossistema completo para o empreendedor de alto impacto, que conta com soluções responsáveis para cada uma das etapas de maturidade da startup.

“O momento é muito positivo. Ser reconhecido internacionalmente e, ao mesmo tempo, ter a possibilidade de enxergar um horizonte de ainda mais oportunidades, a partir agora com a ACE, é algo realmente incrível”, conta Pedro, co-fundador da aceleradora. “Na ACE, trazemos o DNA da Aceleratech, onde temos uma métrica de sucesso apenas – tanto para nós quanto para nossas startups -: crescimento. Seja do empreendedor, da startup, do ecossistema ou da economia, é o que nos move”, continua.

A partir de setembro desse ano, serão iniciadas as operações dos primeiros hubs da ACE, expandindo sua atuação em solo nacional. As primeiras cidades escolhidas são Rio de Janeiro, Curitiba e Goiânia.

Como funcionarão as cinco unidades de negócio da nova ACE

ACE University

À procura de pessoas que estejam em estágio de ideação e profissionais que buscam maneiras de impulsionar suas carreiras por meio da inovação, a ACE Univesity é uma central de conteúdo para ampliar o conhecimento sobre empreendedorismo de startups. O foco é a evolução, criação e expansão da mentalidade empreendedora, além do desenvolvimento de capacidades, ferramentas e estratégia para crescer.

ACE Start

Aqui, as atenções estão voltadas para o momento de validação, com o objetivo de estruturar a base da startup e confirmar todas as suas premissas de mercado, produto e desenvolvimento. O programa de aceleração tem duração média de 4 meses e os empreendedores escolhidos não precisam abrir mão de nenhum equity de sua startup, além de contarem com todo o apoio da equipe e da metodologia ACE.

ACE Growth

Aqui, a meta é ajustar o motor de crescimento e colocá-lo para rodar em capacidade máxima. A metodologia ACE trabalha em áreas como marketing, venda, distribuição, estratégias escaláveis, organização e automatização de processos, além da melhoria de produto e conexão com cliente. Com duração média de 6 meses, o programa oportuniza interação diária com a equipe de aceleração, além de mais de 100 mentores e 60 parceiros que oferecem mais de R$300 mil em benefícios. 

ACE Angels

Para apoiar o crescimento das startups e garantir as melhores empresas em seus programas de aceleração, foi criado um clube exclusivo de investidores-anjo que estão completamente alinhados com os ideais de fomento ao crescimento do ecossistema empreendedor.

ACE Corp

Esse é o braço de aceleração corporativa que responde a uma demanda latente por parte de grandes companhias: não conseguir inovar. Por meio de programas de contato e investimento em startups (corporate venturing), ou ações personalizadas para impulsionar o intraempreendedorismo, a ACE Corp trabalha e já trabalhou com gigantes dos mais variados setores, como Natura, Intercement, Enel e Algar Telecom.

Segundo Pedro, é hora de acreditar no potencial empreendedor do brasileiro: “Expandimos com a ACE porque vemos uma grande evolução do ecossistema nesses últimos anos. Em nosso caso, tivemos a felicidade de conseguirmos cinco exits só em 2015 e atingirmos a marca de 30% de crescimento mensal das nossas startups com os programas. No país temos empreendedores muito bons e várias oportunidades de negócio em que as startups podem aproveitar para criar empresas sólidas e de alto impacto”.