Medo de avião? Aplicativo mostra quais as chances de cada voo cair

Avatar

Por Júnior Borneli

11 de fevereiro de 2015 às 11:23 - Atualizado há 6 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 16 a 19/Nov, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), a chance de uma pessoa morrer durante um voo é de uma em 90 milhões. Isso significa que você pode voar pelos próximos 250 mil anos sem sofre um acidente.

Porém, mesmo dados estatísticos como esse não diminuem o medo que a grande maioria das pessoas sente quando entram em um avião. Foi pensando nisso que o americano Nic Johns criou um aplicativo para celular chamado “Am I going down?” (“Eu vou cair?”).

O aplicativo reúne dados estatísticos relacionados aos acidentes aéreos e o número de voos realizados diariamente e faz uma conta simples, mostrando quais são as chances daquele voo específico acabar em tragédia.

Disponível apenas para iPhone, ao custo de US$ 0,99, o aplicativo funciona assim: você insere o aeroporto de onde está saindo e o aeroporto de destino, além do nome da companhia aérea e o modelo da aeronave. Com essas informações, o aplicativo traz as chances do avião cair e avisa quantas vezes a pessoa pode pegar esse mesmo voo sem que o avião caia.

Simulando uma rota entre San Francisco e Dallas, ambas cidades americanas, voando em um Boeing 747-400, as chances do avião cair são de 1 para 4.593.011, segundo o aplicativo. E o aviso que aparece abaixo é de que você pode voar nesse mesmo trecho durante 12.583 anos sem o menor risco.

Nic Johns, criador do app, afirma que criou o aplicativo por causa do medo que a sua esposa sente ao viajar de avião e que a ideia e oferecer uma ferramenta de entretenimento que conforte um pouco mais os mais receosos. Ele completa dizendo que os resultados são obtidos com base em dados estatísticos, o que não significa uma projeção real para o futuro.

Fonte: CNN