Lyft, maior concorrente do Uber, está se preparando para abrir capital

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

29 de setembro de 2017 às 12:13 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A Lyft está tomando os primeiros passos para um IPO – uma oferta pública inicial de ações em alguma bolsa de valores. Esse passo seria importante para captar mais dinheiro e ajudar a crescer ainda mais a startup, além de poder remunerar funcionários que possuam ações da companhia.

A empresa de transporte por aplicativo está perto de contratar uma empresa de consultoria de IPO – as entrevistas terminaram. A consultoria selecionada ajudará a Lyft a planejar a sua primeira oferta pública de ações, que deverá acontecer no começo do ano que vem, se tudo ocorrer dentro dos planos.

A fonte da informação pediu para não ser revelada, mas também afirmou que essa data pode mudar. Uma empresa de consultoria de oferta pública inicial funciona diferente dos bancos: ela não vende ações, apenas aconselha as melhores formas de fazê-lo.

Apesar de ainda ser uma empresa menor em termo de números – em abril, a Lyft valia US$ 7,5 bilhões, enquanto o Uber, seu maior concorrente, vale US$ 68 bilhões -, pode ser que a Lyft entre para a bolsa de valores ainda antes que sua concorrente. O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, acredita que seu adversário para 18 ou 36 meses.

Apesar de lucrativo, esse é um movimento perigoso – o Snapchat apresentou a maior IPO de uma empresa de tecnologia nos últimos três anos, mas apresentou queda no mercado depois disso. Algumas empresas evitam a IPO por medo de também perderem valor.

Independente dos riscos, que sempre existirão, a Lyft aproveita o timing: o Uber está se recuperando de uns maus bocados. A empresa vêm enfrentando diversos escândalos – como denúncias de assédio sexual de um de seus funcionários e um processo no qual a Alphabet acusa a empresa de roubar propriedade intelectual.

O investimento na Bolsa de Valores pode ser exatamente o que a Lyft precisa para aumentar sua influência fora dos Estados Unidos – pois é o único país em que atua até então. Além disso, a empresa, recentemente, anunciou uma parceria com a Ford.

A Lyft, além de planejar a IPO, já desenha seus próximos passos para o futuro. Empresas de mobilidades estão inovando e mudando como as pessoas vão de um lugar para outro, mantendo-se competitiva no mercado e participando da Nova Economia, a qual Mauricio Benvenutti, autor do bestseller Incansáveis, discutirá em um curso dinâmico.

(Via Business Insider)

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]