Itaú lança centro de empreendedorismo de 5 mil metros quadrados para 50 startups

O Cubo, localizado em São Paulo, terá espaço para receber até 50 startups e oferecer capacitação para interessados no tema

Avatar

Por Júnior Borneli

28 de Maio de 2015 às 14:38 - Atualizado há 5 anos

O Banco Itaú e a Redpoint e.ventures lançaram hoje, em São Paulo o Cubo, um grande centro de empreendedorismo tecnológico, sem fins lucrativos, que começará a funcionar a partir de setembro desse ano.

A sede do Cubo terá mais de 5.000 m² de área e comportará cerca de 250 empreendedores, até 50 startups, e infraestrutura para oferecer conteúdo de educação empreendedora para interessados no tema. Além do ambiente de coworking, o espaço auditório para 130 pessoas, cafeteria, salas para cursos e um espaço para eventos na cobertura do prédio.

Inscreva-se agora no curso Startup de A a Z: construindo negócios campeões. Garanta o seu lugar, porque as vagas são limitadas. CLIQUE AQUI.

“A união de forças entre Itaú e Redpoint e.ventures faz do Cubo um novo modo de fomentar o mercado de empreendedorismo tecnológico na América Latina, tornando-o mais inovador e transformador para toda a sociedade”, explica Ricardo Guerra, diretor executivo do Itaú Unibanco.

“Estamos muito animados com o lançamento do Cubo e o marco que isso representa. Apoiar o desenvolvimento do ecossistema é uma parte importante de nossa missão na Redpoint. Além de ser um novo pilar e ponto de encontro, temos certeza de que o Cubo irá marcar o início de uma nova fase, mais acelerada e colaborativa, em nosso mercado. Agora ninguém segura essa turma de empreendedores!”, afirma Anderson Thees, sócio fundador da Redpoint e.ventures.

Os empreendedores apoiados pelo Cubo contarão com o apoio de mentores especializados nos mais diversos temas e também terão acesso a uma plataforma de educação empreendedora que prevê workshops, palestras e promoção de eventos para empreendedores e interessados no setor.

Outro diferencial do centro é a criação de uma rede de conexões global entre diversos agentes do mercado – empreendedores, empresas de tecnologia, investidores, estudantes, universidades, entidades do setor, entre outros, a fim de desenvolver soluções inovadoras para a sociedade. Além disso, o Cubo irá oferecer um centro de eventos e congregação para o ecossistema de startups digitais do Brasil e América Latina.

O Itaú será o sócio mantenedor e o principal provedor de recursos para o Cubo. A seleção de startups e as atividades de educação empreendedora terão curadoria da Redpoint e.ventures, e serão realizadas pela equipe de especialistas da companhia.

O Itaú e a Redpoint e.ventures utilizarão suas redes de relacionamento para alavancar os negócios das startups digitais que passarem pelo Cubo, e a Redpoint  também empregará sua expertise para trazer o know-how internacional, oferecendo conteúdo de qualidade, melhores práticas e ferramentas de mercado.

A proposta do Cubo é fazer uma seleção minuciosa das startups tenham uma grande capacidade de transformação da sociedade. Pontos como estágio de atuação no mercado, capacidade de execução, alcance de escala, e oferta de valor para outros residentes também serão considerados.

“O Cubo será o ponto de encontro do empreendedorismo digital no Brasil e irá preencher uma lacuna que estava aberta há tempos no nosso mercado. Acreditamos que empreendedores são críticos para o futuro do país”, afirma Flávio Pripas, diretor do projeto. “A intersecção de empreendedores, investidores, mentores, pesquisadores e grandes empresas vai aumentar exponencialmente o potencial de sucesso das startups”, conclui o executivo.