Investimentos em startups de maconha não param de crescer

Avatar

Por Paula Zogbi

7 de março de 2016 às 16:35 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

O mercado da cannabis legalizada nos Estados Unidos ainda está se materializando. Mesmo assim, há cada vez mais investidores interessados, de acordo com uma pesquisa do CB Insights.

No ano passado, o nicho teria movimentado US$ 5,4 bilhões de dólares nos Estados Unidos, entre vendas da própria planta e de acessórios relacionados. Os números são da New Frontier e da Arc View Group, especializadas em coletar dados relacionados à planta.

O quarto trimestre de 2015 viu um recorde de acordos de startups nessa área – foram quase 30 nos três meses. Dois anos antes, foram apenas 2 no mesmo período. Os financiamentos passaram de US$ 65 milhões, segundo maior valor de todos os tempos – sendo que o primeiro, US$ 94 milhões no primeiro trimestre do ano passado, contou com o investimento de US$ 75 milhões na empresa de private equity focada em cannabis Privateer Holdings.

Entre 98 empresas da área que firmaram acordos em 2015, há diversos segmentos: operações do próprio produto, transporte, compliance, aplicações em cadeia industrial e tecnologia, incluindo um software que rastreia as vendas da maconha.

Entre aceleradoras, a CanopyBoulder, focada em cannabis, foi a que mais investiu em empresas desse nicho desde 2011, somando mais de 15 delas. Em segundo e terceiro lugares, outras duas aceleradoras especializadas na planta: ArcView Group e Casa Verde Capital.