Inteligência Artificial na saúde pode movimentar US$ 6,6 bilhões em 2021

Junior Borneli

Por Junior Borneli

25 de junho de 2017 às 20:52 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Em 2014, os investimentos em inteligência artificial para novas soluções para a área da saúde movimentaram US$ 634 milhões. Mas em poucos anos, esse montante pode chegar a incríveis US$ 6,6 bilhões.

As principais inovações que utilizam inteligência artificial estão ligadas ao diagnóstico de doenças, o que pode também causar grande impacto financeiro no setor de saúde, uma vez que a detecção de doenças em estágio inicial pode gerar grandes economias em tratamento e terapias.

Algumas soluções que utilizam essa tecnologia estarão no Health Tech Conference, evento que vai reunir mais de 600 pessoas em São Paulo, para discutir o futuro da medicina através das soluções criadas por startups.

A startup Cardiogram, por exemplo, afirma que seu aplicativo pode detectar arritmias nos usuários de relógios inteligentes, segundo um estudo realizado em conjunto com a Universidade da Califórnia.

Outro exemplo: pesquisadores de Harvard e da Universidade de Vermont criaram uma ferramenta que permite identificar casos de depressão analisando as fotos publicadas na rede social Instagram.

A inteligência artificial também pode ajudar a prevenir doenças, analisando minuciosamente os relatórios médicos ou os resultados de exames. Grandes empresas estão de olho nesse movimento: o Google, através do departamento Deepmind, usa IA para ajudar médicos a avaliar os riscos de propagação do câncer e desenvolver os tratamentos de radioterapia adequados. Microsoft, IBM e Intel também colaboram com pesquisadores na análise de dados médicos.

Para se inscrever e conhecer mais sobre o Health Tech Conference, acesse https://eventos.startse.com.br/healthtech/.