Inscrição em programa da prefeitura de SP para startups vai até domingo

Da Redação

Por Da Redação

7 de outubro de 2016 às 16:02 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Você tem até domingo para se inscrever no programa Residência MobiLab 2.0, da MobiLab e a SP Negócios, no âmbito da política Tech Sampa. O programa selecionará até 10 Startups que desenvolvam soluções de tecnologia para mobilidade urbana na cidade de São Paulo.

É possível fazer sua inscrição neste site através até o dia 9 de outubro. A partir daí o processo de seleção contará com duas etapas. Na primeira, uma Comissão deverá selecionar até 16 startups para apresentarem seus projetos. Depois disso, a comissão selecionará até dez Startups dessas para o programa de residência.

Esses escolhidos desenvolverão projetos dentro do espaço de coworking do MobiLab por seis meses. Lá, terão acesso a um programa de mentoria personalizado, dados de mobilidade, apoio técnico e, para as startups que cumprirem as metas, certificado de participação no programa. Válido destacar que não será concedida bolsa ou qualquer outro desembolso financeiro aos residentes.

Atualmente, o MobiLab já abriga oito startups residentes da 1a edição do programa, que começou em julho deste ano, reunindo soluções ligadas a ciclomobilidade (MubMaps e Woole), transporte público (Scipopulis e OnBoard), logística (Logbee e Kolektiva), transporte individual (Parknet) e mobilidade a pé (Beeline). O Sebrae-SP também dará apoio ao longo do programa, no acompanhamento.

Com a proximidade das startups e poder público, poderão ser definidos grandes parcerias. “A maior vantagem para as startups é estar dentro de um espaço de coworking onde todos ao seu redor estão trabalhando com inovação em mobilidade. De um café pode sair uma grande ideia. Adicionalmente, o acesso aos técnicos, gerentes, superintendentes e até diretores da SPTrans e da CET permite que as soluções já saiam alinhadas com o que a gestão pública possa responder”, destaca Ciro Biderman, coordenador do MobiLab.

“Os produtos desenvolvidos pelas startups são serviços de utilidade pública oferecidos muitas vezes gratuitamente para os cidadãos que melhoram a experiência de se movimentar dentro da cidade sem custo para o setor público”, afirma Biderman.

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!