Homestyler: A revolução digital na decoração de interiores

Da Redação

Por Da Redação

19 de fevereiro de 2019 às 00:48 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O Homestyler é uma plataforma, que funciona tanto por aplicativo quando no site, e que permite que aspirantes a designer de interiores testem móveis e decoração, antes de se comprometer com uma compra.

Basta tirar uma foto da sala, em seguida, experimentar papel de parede, cores de pintura e móveis de marcas reais. Há uma comunidade de mais de 100.000 usuários que se comunicam por meio de um fórum para fazer perguntas, e responder às dúvidas mais improváveis de pessoas interessadas em montar ou reformar desde um cômodo até a casa inteira.

Com essa proposta, de ser um assistente virtual em projetos de decoração de interiores, o App Homestyler, da chinesa Easyhome Furnishing, a segunda maior cadeia de suprimentos e móveis domésticos da China, se tornou uma das empresas de tecnologia para o varejo mais cobiçadas do mundo.

Estratégia multicanal

Em fevereiro passado, a gigante Alibaba desembolsou aproximadamente US$ 870 milhões para comprar uma participação de 15% na Easyhome. Por trás do investimento, está a estratégia de ajudar a digitalizar os pontos de venda da Easyhome, que possui cerca de 300 lojas em todo o país, e melhorar a experiência do cliente, nos canais digitais e lojas físicas.

Atualmente, já é possível que os clientes comprem itens e solicitem serviços pela plataforma online, que opera de forma integrada às lojas físicas. A Easyhome iniciou suas operações em 1999 e faturou, em 2017 (último dado disponível), cerca de US$ 8,9 bilhões.