Governo acorda e quer preparar o Brasil para a 4ª revolução industrial

Da Redação

Por Da Redação

16 de março de 2017 às 11:50 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nossa indústria é uma piada. Com algumas exceções, temos um parque industrial completamente sucateado e pouco competitivo com o que vem se apresentando no exterior. Além disso, estamos largando tarde para a 4ª revolução industrial, com a convergência das tecnologias digitais, a internet das coisas e o processo de manufatura 3D.

Enquanto isso, várias startups estão realizando um trabalho muito bacana no setor industrial – já falamos de uma que funciona como um Uber para indústria -, mas não recebem grandes oportunidades. O governo, porém, parece estar ciente deste problema e agora querem impulsionar o trabalho de startups no setor industrial.

Como uma das primeiras medidas, a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) está lançando o edital do “Programa Nacional Conexão Startup Indústria”. O lançamento será hoje a noite, durante evento organizado pela Harvard Angels do Brasil para falar de corporate venturing no Brasil.

Esse tema é de suma importância para nós, que acreditamos que a inovação pode trazer grande desenvolvimento ao Brasil. “É fato que parte importante da nossa indústria está pelo menos 15 anos atrasada em relação aos países de primeiro mundo. Falta investimento em tecnologia, inovação e processos eficientes”, explica Guto Ferreira, presidente da ABDI, entidade ligada ao Ministério do Desenvolvimento.

A ideia é que tenhamos algum planejamento que permita a criação de um ambiente inovador e empreendedor no Brasil na próxima década – o que seria muito bom para evoluirmos. “O Programa Startup Indústria é inédito no Brasil e tem o objetivo de repensar o setor industrial para próximos 10 anos”, completa Ferreira, que terá a companhia no evento do ministro Marcos Pereira, do ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços e Fernando Richie, do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), que falará sobre corporate ventures no Brasil.

Para informações sobre o Programa Nacional Conexão Startup Indústria e como participar, veja este link. Temos certeza que se nos adaptarmos a um mindset de inovação constante, vamos pular na frente em relação ao restante do mundo e iniciar uma nova era de crescimento econômico que permitirá que viremos uma nação desenvolvida.

Fico satisfeito de ver uma medida concreta de um país onde as oportunidades são poucas. Corporate venturing gatinha e ainda há muito espaço para crescer. Precisamos de mais medidas de fomento como o programa Track, da Visa, que vai dar R$ 235 mil em benefícios para startups e a acelerarem diretamente no Vale do Silício.

Mas temos que pensar como a região que mais inova: o Vale do Silício. Temos duas iniciativas para ajudar nossos leitores a conhecerem e sua mentalidade. O primeiro é o Silicon Valley Conference, um evento que promete transformar São Paulo no Vale por um dia e o Silicon Valley Learning Experience, uma visita aos principais locais do Vale para falar com alguns dos principais nomes da região.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]