Google lança campanha para incentivar criação de sites mobile

Avatar

Por Júnior Borneli

19 de março de 2015 às 09:40 - Atualizado há 6 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O Google lançou uma campanha para incentivar empreendedores e pequenos empresários a criarem de sites na versão mobile. O programa, chamado MobileMadness, acontece de 18 de março a 21 de abril e contará com cinco palestras on-line gratuitas promovidas pelo Google.

A empresa acredita que ter um site mobile será algo fundamental já nos próximos anos, mesmo porque a compatibilidade com dispositivos móveis será usada como critério de classificação nas buscas on-line, o que vai afetar as pesquisas no mundo todo.

Quer ter uma startup de sucesso? Cadastre-se no StartSe e fale com milhares de investidores, mentores e também com aceleradoras. Acesse www.startse.com.br. É gratuito.

O que o Google quer dizer, na verdade, é que se o site da empresa não for compatível com dispositivos móveis ele não aparecerá na lista de resultado das buscas realizadas pelo celular, por exemplo.

As palestras on-line acontecerão nas seguintes datas (os links levam para os eventos):

23/03 – Apresentação para PMEs
30/03 – Conheça as Ferramentas
01/04 – Melhore a Visualização
06/04 – Concentre-se no Usuário
08/04 – Configure corretamente
15/04 – Perguntas & Respostas

Já há algum tempo o Google vem insistindo na importância de ter um site que funcione em dispositivos móveis. Isso já foi tema, aliás, de uma reportagem muito boa aqui no StartSe (Mobile First já está dominando o mundo, diz gestor do Google). Vale a pena ler.

Fonte: PEGN