Gigante chinesa investe US$ 100 milhões na 99 (e sinaliza algo pro mercado)

Da Redação

Por Da Redação

5 de janeiro de 2017 às 09:53 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Os chineses estão com apetite, de verdade. A Didi Chuxing, a “Uber da China”, acaba de investir US$ 100 milhões na brasileira 99 – antiga 99Táxis. É o primeiro grande investimento em uma startup brasileira do ano – e sinaliza algo muito interessante para o mercado.

Primeiro, que os chineses estão vindo para o Brasil com fome de investimento. Nos últimos meses, começou um intercâmbio muito forte de informações entre startups brasileiras e investidores chineses – liderados por empresas de tecnologia do gigante asiático, como a própria Didi.

Além do mais, o dinheiro e a influência da Didi deverão ser usados para fortalecer a 99 – que opera em 550 cidades no Brasil, mas cujo serviço 99Pop (mais parecido com a Uber e com a própria Didi) só opera em São Paulo. Com um assento no conselho, a Didi deverá ter voz ativa neste processo.

O valuation, diz uma fonte do mercado, é apenas um pouco abaixo do US$ 1 bilhão que teria transformado a 99 em um unicórnio – a estimativa do especialista é de algo entre US$ 600 milhões e US$ 800 milhões. A própria Didi comanda um valuation de US$ 35 bilhões, depois da megaoperação de fusão com as atividades chinesas da Uber.

A Didi é a segunda principal empresa do segmento e conseguiu “expulsar” a Uber da China por ser mais eficiente que a gigante americana. Na China, ela opera em uma grande variedade de segmentos, como carros comuns, táxis, ônibus e até aluguel de veículos. “China e Brasil são os mercados em desenvolvimento mais evidentes para nossa indústria de compartilhamento”, disse o CEO da Didi, Cheng Wei.

Não se sabe se a 99 será incluída na “Aliança Contra-Uber”, que inclui, além da Didi, o Lyft nos Estados Unidos, Ola na Índia e Grab no sudeste asiático.

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]