Geru arrecada mais R$ 238 milhões e prepara nova rodada para 2019

José Eduardo Costa

Por José Eduardo Costa

12 de dezembro de 2018 às 14:20 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Geru captou 238 milhões de reais no segundo semestre do ano com a emissão de debêntures. Essa foi a sétima rodada de captação de fundos da fintech, que em três anos de operação já levantou mais de meio bilhão de reais.

O presidente e fundador da Geru, Sandro Reiss, está em viagem ao exterior esta semana, em reuniões com investidores, para captar novos recursos.

A Geru tem atualmente mais de 100 fundos de investimento e gestores de ativos que financiam a sua carteira de empréstimos aos consumidores. A fintech planeja ampliar sua oferta de crédito aos clientes em 2019.

“A gente se financia com recursos de investidores. Sempre houve do nosso lado uma indignação construtiva por recusar parte dos clientes que nos procuram. Trabalhamos muito este ano para aperfeiçoar a área de inteligência. Isso nos permite personalizar a nossa análise de crédito para cada pessoa que entra no site em busca de empréstimo”, diz Reiss.

De olho em mais clientes

As novas rodadas de captação e os investimentos da Geru em tecnologia e recursos humanos, afirma Reiss, vão possibilitar análises de crédito mais assertivas para clientes com perfil de risco considerado alto pelo mercado financeiro.

Segundo o Reiss, metade de População Economicamente Ativa no Brasil – o que corresponde a cerca de 40 milhões de pessoas – tem o nome incluso no Serasa ou SPC. “Sobra metade da PEA (outros 40 milhões de brasileiros) que tem possibilidade de acessar crédito com melhores condições do que as oferecidas pelos bancos. As fintechs hoje não atendem nem 10% deste público”, diz.

A Geru oferece empréstimo pessoal online de 2 mil a 50 mil reais, com juros que variam de 2 a 5 por cento ao mês e pagamento em até 36 meses. Valores, prazos e taxas oferecidos para cada cliente são calculados a partir de uma avaliação de crédito, que cruza documentos fornecidos com informações de diversas fontes.

Em paralelo a emissão de debêntures para captar fundos para a sua operação, a Geru vem buscando estabelecer parcerias com os bancos, para ganhar participação de mercado. Um exemplo foi a parceria, anunciada na semana passada, entre Geru e o banco CBSS, controlado pelo Banco do Brasil (BB) e Bradesco.