Fique de olho nessas 3 tendências de pagamentos digitais no Brasil

Avatar

Por Lucas Bicudo

7 de outubro de 2016 às 19:20 - Atualizado há 4 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Na hora de realizar um pagamento, nada de cartão de crédito ou dinheiro. Basta tirar o smartphone, entrar em um aplicativo ou aproximá-lo da maquininha e pronto, a transação foi realizada. Cada vez mais a tecnologia de pagamento digital está sendo utilizada, não somente pelo varejo, mas por diversos outros serviços. Alguns deles, por exemplo, guardam os dados do consumidor e processam os pagamentos para aplicativos como Uber e Spotify.

Outros utilizam a tecnologia NFC (sigla para Near Field Communication), que facilita a troca de informações. O fato mesmo é que existe muita tecnologia sendo desenvolvida na área de pagamentos e finanças – e as fintechs estão se aproveitando disso. Para explicar esse fenômeno, temos duas iniciativas: um hangout gratuito com Marcelo Maisonnave, fundador da XP Investimentos, e o Fintech Class, maior evento do setor no Brasil, com a participação de GuiaBolso, Nubank e outras tantas startups sensacionais do setor.

Confira três tendências do pagamento digital no Brasil:

Pagamento “zero clique” veio para ficar

Como o objetivo dessa modalidade é eliminar o atrito no momento de finalizar o pedido, a tendência é o conceito ganhar cada vez mais espaço nas empresas.

“Hoje é comum investir no pagamento um clique, mas já existe a modalidade ‘zero clique’, com fornecedores que armazenam os dados e processam a transação para diferentes aplicações”, confirma Jerome Pays, diretor de e-commerce da Lyra Network, empresa especializada em transmissão de pagamentos eletrônicos.

Isso explica, por exemplo, a popularização de pagamentos recorrentes, como clubes de assinatura online e aplicativos de serviços.

Com mais segurança, migração do papel para o digital é irreversível

Conforme os usuários vão conhecendo e se encantando com a nova experiência de compra, a expectativa é que, pouco a pouco, as cédulas e os cartões físicos sejam substituídos.

“A migração do papel para o digital é irreversível, pois será uma opção segura e cômoda para as pessoas”, explica Pays.

Por sua vez, Fabrício Costa, CEO da Equals, empresa especializada em gestão e conciliação de vendas com cartões de crédito e débito, boletos e outros meios de pagamentos online, acredita que as empresas podem recorrer a outros recursos, como conciliação, para diminuir as fraudes nas transações.

“O lojista precisa estar preparado para o mundo digital e ter um controle pleno dos recebíveis e chargebacks realizados. A má gestão financeira pode representar um grande prejuízo ao negócio que não estiver preparado para essa nova era digital”, conclui.

E-Wallets prometem trazer praticidade e segurança ao mercado consumidor

Por meio de uma e-wallet, os dados do comprador são armazenados de forma criptografada, sem que a cada compra ele precise preenchê-los novamente – a criptografia de informações também torna a transação mais protegida contra fraudes.

“É uma tendência mundial não só por conta da sensação de segurança, mas também pela facilidade para os usuários. No futuro, grande parte dos pagamentos será feita via carteira digital”, comenta Fábio Santos, Head de Marketing do Pagar.me, empresa especializada em tecnologia de meios de pagamento.

[php snippet=5]
E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook!